Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Mural de Homenagem a Milton Ozório Moraes

Compartilhar:

Considerado um dos maiores estudiosos em fisiopatologia da hanseníase, o biólogo e pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Milton Ozório Moraes, faleceu no dia 9 de novembro de 2022, em decorrência de um câncer. Moraes era carioca, filho de Lucia e Milton, pai de Amanda, Bruna, Manuela e Henrique e casado com Daniela. 

Formado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde também fez mestrado, e doutorado em Biologia Celular e Molecular pela Fiocruz, Milton foi pesquisador-titular da Fiocruz, professor-adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), coordenador do programa Inova Fiocruz, como assessor da Vice-Presidência de Produção e Inovação em Saúde, e coordenador-geral-adjunto de Educação da Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação. No IOC coordenou, entre 2006 e 2010, o Programa de Pós-graduação Stricto sensu de Biologia Celular e Molecular. 

Seu ingresso na unidade se deu em 2002, como pesquisador no Laboratório de Hanseníase. Ali se dedicou a entender a fisiopatologia da doença utilizando uma abordagem multidisciplinar, com ênfase em biologia molecular, genética e imunologia, com contribuições relevantes ao entendimento dos mecanismos genéticos e imunológicos de subversão da resposta imune exercido por micobactérias. 

Veja, neste espaço, homenagens de colegas e Unidades da Fiocruz ao professor, gestor e pesquisador. 

* Com informações do IOC e Agência Fiocruz de Notícias 

Deixe sua mensagem

CAPTCHA
Este campo é para verificar se o formulário está sendo enviado por uma pessoa.

Mural de mensagens

Conheci Milton trabalhando junto no programa Inova no início de 2018 e desde então pudemos estar juntos semanalmente. Tenho muita gratidão e carinho pelos conselhos, conversas, estímulos e acolhimento que recebi nesse período. Um profissional dedicado a ciência, experiente, ponderado e profundo conhecedor da instituição, trabalhava com prazer e estava presente no programa até outubro. Sem dúvidas sua marca é o otimismo! Ele fará muita falta, mas com certeza seus ensinamentos ficarão marcados na equipe e particularmente na minha trajetória profissional. Fica um vazio, mas tenho confiança que o desejo dele é que continuemos com otimismo e dedicação a Fiocruz. Milton vive em todos nós! Muito obrigado!
Renato Marins Domingues
qui, 17/11/2022 - 09:23
Milton era uma pessoa tão gentil e generosa, que sempre foi apaixonado por seu trabalho e se dispunha a ajudar as pessoas quando elas precisavam. Eu realmente sentirei falta de colaborar com ele e sinto muito por sua perda.
Anthony McDonnell
qui, 17/11/2022 - 08:07
Conheci o Milton no Laboratório de Hanseníase (LAHAN), fomos colegas de laboratório e parceiros em pesquisas. Viu o Milton evoluir como ser humano, pesquisador, servidor público; o vi ir retirando aos poucos o olhar da bancada para focar mais nas pessoas acometidas por hanseníase. Assumiu a chefia do LAHAN brilhantemente e soube dar apoio aos colegas e equipe. Entre muitas outras coisas, nos deixa a sua força, bom humor e otimismo: "Vamos em frente!"
Ximena
qua, 16/11/2022 - 20:36
Repasso abaixo breve trecho da indicação que fiz de Milton para a Academia Brasileira de Ciências este ano. Na minha opinião, um dos melhores cientistas de sua geração nas Ciências Biomédicas brasileiras. Uma grande perda para a família e amigos, mas também para a Ciência nacional e mundial, numa área tão importante para as populações menos privilegiadas. Milton teve uma carreira acadêmica consolidada, com reconhecimento nacional e internacional, e publicação de artigos científicos altamente relevantes em sua área. Desenvolveu pesquisa verdadeiramente translacional com doenças negligenciadas, cobrindo desde a genômica funcional e epidemiologia genética a ensaios clínicos de testes diagnósticos envolvendo novos tratamentos e prevenção com quimio ou imunoprofilaxia. De forma pouco comum em nossa Ciência, seus estudos culminaram em projetos que geraram produtos, como o primeiro kit molecular baseado em PCR para diagnóstico de Hanseníase registrado na ANVISA. Liderou estudo pioneiro na utilização de inteligência artificial no diagnóstico de Hanseníase, e liderou o primeiro ensaio clínico de uma vacina recombinante para terapia e prevenção de Hanseníase. Desenvolveu pesquisa vertical capaz de transformar descobertas científicas em produtos e, com isso, resolver problemas de saúde da população Brasileira.
Sergio T. Ferreira
qua, 16/11/2022 - 16:58
Milton was such a kind man, always eager to help, and so passionate about his work. I will really miss collaborating with him and I am so sorry for your loss. best wishes Anthony
Anthony McDonnell
qua, 16/11/2022 - 14:45

Páginas

Voltar ao topoVoltar