Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Programa de Computação Científica

Arte com mapa do Brasil, conexões e números, alusão ao trabalho matemático

Quem somos

 

O Programa de Computação Científica da Fiocruz (Procc/Fiocruz) é uma inciativa da Fiocruz para trabalhar em favor do desenvolvimento e da aplicação de métodos matemáticos e estatísticos inovadores em pesquisas no campo das biociências, prioritariamente as desenvolvidas na Fundação.

Seu objetivo é manter a alta produtividade em pesquisa quantitativa voltada para o delineamento de estudos e análise de dados e para a modelagem matemática e estatística de sistemas biológicos com aplicação em áreas de saúde, que abrangem desde o desenvolvimento de fármacos até o estudo de epidemias, em parceria com grupos de pesquisa interno e externos à instituição.

O Programa visa, ainda, capacitar pesquisadores e metodólogos em formação, atuando nas pós-graduações do Programa de Biologia Computacional e Sistemas, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e no Programa de Pós-graduação em Epidemiologia em Saúde Pública (Ensp/Fiocruz).

Produção acadêmica

Conheça nossa produção acadêmica no Arca

 

 

 

Pesquisa

O Sistema InfoDengue visa gerar um alerta em tempo quase real para os casos de transmissão de dengue nos municípios, permitindo às Secretarias de Vigilância em Saúde tomar decisões mais ágeis a respeito da doença. A partir de modelos matemáticos que analisam diversas fontes de informação, o sistema disponibiliza informações sobre o histórico da dengue nos municípios.

 

O Sistema monitora os casos de gripe e agravos pelo vírus em todo o Brasil, analisando os riscos epidemiológicos por período, região e por caracterísiticas de indivíduos mais susceptíveis a sofrer agravo.

 

  • Biofisica Computacional e Modelagem Molecular

Entre os pioneiros da Fundação na área de metodologias computacionais, essencialmente a modelagem aplicada a estudos de alvos moleculares essenciais na busca de terapias mais eficientes para doenças negligenciadas (ex: dengue, malária, doença de chagas e AIDS), ampliando assim a abordagem de investigações tradicionalmente realizadas nesta instituição.

Voltar ao topoVoltar