Início do conteúdo

Projeto inovador em Covid-19 é premiado


10/06/2021

Por: Max Gomes (IOC/Fiocruz)*

Compartilhar:

“Transformar uma ameaça invisível em um alvo visível”. Com esse slogan e o desafio de colocar no mercado um produto capaz de identificar e revelar a presença do SARS-CoV-2 em variadas superfícies, a startup Corona-Reveal, formada por cientistas do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), foi reconhecida com o segundo lugar na 3ª rodada do Programa Inova Labs, da Fundação Oswaldo Cruz. A iniciativa visa capacitar pesquisadores para desenvolver produtos, serviços e processos inovadores, em busca de soluções para o Sistema Único de Saúde nas áreas de oncologia, emergências sanitárias e doenças negligenciadas.

À frente do projeto, Elen Mello de Souza, coordenadora do Programa de Estágios do IOC e coordenadora de disciplina do curso de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular do Instituto, celebrou o reconhecimento. “Eu quero agradecer a iniciativa do Programa Inova Labs por oportunizar a imersão de pesquisadores da Fiocruz nessa visão do empreendedorismo”, ressaltou.

A pesquisadora do IOC destacou também a necessidade de fomento monetário para que trabalhos como o Corona-Reveal saiam do papel e sejam colocados em prática. “Esperamos ter um apoio financeiro, visto que o apoio da Fiocruz certamente já temos. Assim, podemos, de fato, concluir o desenvolvimento do nosso produto e colocá-lo no mercado”, afirmou.

Tendo em vista o auxílio no controle de vigilância sanitária para o enfrentamento da Covid-19, a startup Corona-Reveal elaborou um produto com foco em ambientes de atendimento à saúde. O kit é composto por duas soluções: a primeira, APTAsensor, reconhece especificamente o novo coronavírus; enquanto a segunda, LUMINAlights, coloca o vírus em evidência quando exposto à luz ultravioleta.

Para os desenvolvedores do projeto, além de sua grande utilidade em ambientes hospitalares, o kit se destaca pela alta acessibilidade. A praticidade do produto faz com que ele possa ser manuseado sem um treinamento prévio ou equipamento específico, oferecendo, ainda, um resultado instantâneo. Outro fator salientado pelos cientistas, é a possibilidade de adaptá-lo para outros patógenos.

O projeto começou a ser idealizado em dezembro de 2020 e teve seus primeiros passos em março de 2021, com o desenvolvimento da tecnologia. A previsão é de esteja pronto para comercialização em 2022, após passar pelo processo de regulamentação, submissão de patentes e aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além do Corona-Reveal, outro grupo com participação do IOC chegou à final da 3ª rodada do Inova Labs. A startup DetectArbo promove um protocolo molecular de reação única de PCR em tempo real associada a análise de HRM, sendo capaz de detectar e informar de forma clara e simples o genótipo do arbovírus presente na amostra clínica humana analisada.

A premiação foi realizada durante o Demoday (Dia de Demonstração), evento em que as equipes mais bem pontuadas apresentam suas soluções e estratégias para investidores e potenciais parceiros. O primeiro lugar ficou com a startup FreeMalaria, liderada por pesquisadores da Fiocruz Minas.

 

Ideias inovadoras viram novos negócios

Promovida pelas Vice-Presidências de Pesquisa e Coleções Biológicas (VPPCB/Fiocruz) e de Produção e Inovação em Saúde (VPPIS/Fiocruz), em parceria com o Ministério da Saúde, o Programa Inova Labs tem como objetivo a qualificação de pesquisadores para transformar ideias inovadoras em produtos e serviços com perspectiva de negócios.

O programa oferece suporte na construção de estratégias adequadas para a inserção de uma nova solução no mercado, seja ela um produto, um processo, um serviço ou um sistema. Ao longo do Programa, pesquisadores podem testar e validar soluções, estudar modelos de comercialização, encontrar mercado/usuários e desenvolver novas habilidades a partir de uma metodologia direcionada que combina capacitação, modelagem e competição.

No final do treinamento, os grupos de empreendedores mostram que estão prontos para ir ao mercado e buscar investidores para suas empresas.

Na primeira rodada, realizada em 2019, a startup startup OncoID, liderada por pesquisadores do Laboratório de Genômica Funcional e Bioinformática do IOC, conquistou o primeiro lugar. Em 2020, na segunda rodada da iniciativa, a competição entre as equipes foi substituída por uma premiação em quatro categorias, contemplando características fundamentais para o empreendedorismo. O projeto Schistogreen, liderado pelo Laboratório de Avaliação e Promoção da Saúde Ambiental do IOC, recebeu o Prêmio Camaleão por apresentar o maior mindset de crescimento.

Quarta rodada: inscrições abertas

Caminhando para sua quarta rodada, o Programa Inova Labs Fiocruz está com incrições abertas. Podem participar equipes compostas por servidores e alunos de pós-graduação da Fiocruz. Os interessados têm até o dia 4 de julho para se inscrever.

*Com informações do Programa Inova Labs Fiocruz

*Edição: Vinícius Ferreira

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar