Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

26/09/2018

Levantamento avalia desafios para metas da ONU em Saúde


Por: Julia Dias (Agência Fiocruz de Notícias)*

Assegurar a educação de qualidade (ODS 4) e erradicar a pobreza (ODS 1) são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que, uma vez implementados, mais contribuiriam para que o Brasil atinja o Objetivo relacionado à saúde (ODS 3). Essa é a opinião expressa por 57,4% e 54,8%, respectivamente, dos pesquisadores em saúde pública do país em levantamento realizado pelo Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE/Fiocruz) para medir os desafios de implementação da Agenda de Desenvolvimento Sustentável da ONU no Brasil.

Os especialistas também acreditam que esses são os objetivos mais importantes para o país, com 68% apontando educação e 51% a erradicação da pobreza como a prioridade. No entanto, este é o ODS em que os entrevistados demonstram maior pessimismo. Para 66,5%, o Brasil não conseguirá acabar com a pobreza extrema no país até 2020. As metas de redução de desigualdades (ODS 10) também foi apontada como pouco provável de ser cumprida por 64,9% dos entrevistados. A promoção de sociedades pacíficas e inclusivas (ODS 16) foi outra com alto grau de pessimismo, apontada por 63,3% como pouco provável.

Por outro lado, objetivos relacionados à água e saneamento (ODS 6) e fome zero (ODS2) são apontados como aqueles que o país tem mais condições de cumprir, de acordo com 26,8% e 25,5% dos participantes da pesquisa, respectivamente.

A pesquisa Percepção de especialistas em Saúde sobre a Agenda 2030 foi realizada entre 22 de janeiro e 9 de fevereiro de 2018, por meio de questionário eletrônico enviado por e-mail, respondido por 884 especialistas. Eles avaliaram a importância da Agenda para direcionar políticas públicas no Brasil, em uma escala de 1 (pouco importante) a 5 (muito importante), e o potencial do Brasil para cumprir os ODSs, na mesma escala – 1 (baixo potencial) a 5 (alto potencial).

Em geral, os respondentes reconhecem a importância do documento, com 81% indicando 4 ou 5 pontos da escala para essa pergunta. 65% também declara conhecer bem os seus Objetivos.

Os especialistas fizeram também recomendações a serem implementadas para o que país cumpra cada uma das metas do ODS3. Reduzir a pobreza, alcançar cobertura universal da atenção básica, investir na educação da população, tomar medidas para reduzir as diferentes manifestações da violência e aumentar a cobertura do saneamento básico foram algumas das recomendações mais citadas.

Entre os maiores entraves da área da saúde foram apontados principalmente a má gestão, a corrupção, a baixa participação da sociedade, as políticas de austeridade, a falta de integração entre políticas e a falta de recursos.

Acesse a pesquisa completa.

* Com informações do Radar ODS

Voltar ao topoVoltar