Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Livro sobre saúde de migrantes e refugiados é tema do Ciência e Letras

Veronica Yujra e Deisy Ventura participam do Ciência e Letras

14/06/2020

Marcella Vieira/Editora Fiocruz e Ascom/Canal Saúde

Compartilhar:

Em meio à pandemia do novo coronavírus, temas como mobilidade humana, lei de quarentena, fechamento de fronteiras e direito internacional têm sido amplamente debatidos nos mais diferentes canais e redes de comunicação e saúde. Em 2019, a Editora Fiocruz publicou um livro que agrega esses e outros assuntos relacionados à saúde global.

Para debater os temas, as autoras de Saúde de Migrantes e Refugiados, título da coleção Fazer Saúde, são as convidadas do próximo Ciência e Letras, programa do Canal Saúde em parceria com a Editora Fiocruz. Deisy Ventura, professora titular da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP), e Veronica Yujra, dentista sanitarista, conversam com o apresentador Renato Farias, em entrevista que vai ao ar nesta terça-feira (16/6), às 10h. O bate-papo foi gravado no segundo semestre do ano passado, antes da emergência sanitária causada pela Covid-19.   

As pesquisadoras falam sobre a importância do respeito aos direitos humanos e de se combater estereótipos e preconceitos que recaem sobre estrangeiros que buscam se estabelecer em outros países. “A migração ser tratada mais como uma questão de segurança e menos como uma questão de direitos é um grande problema”, afirma Yujra, que atua como profissional do Sistema Único de Saúde (SUS) em São Paulo.

O fato de muitos países responsabilizarem as migrações por suas crises econômicas também é, segundo as autoras, um mito a ser desfeito, pois cria enormes barreiras e crises humanitárias. “Nada justifica as políticas restritivas que vêm sendo adotadas na Europa”, ressalta Deisy. Segundo a professora, o Brasil também tem adotado medidas controversas em relação aos processos migratórios. “Cometemos o erro de incluir esse tema (migração) na nossa agenda pública apenas sob a ótica de crise. (...) Mas devemos lembrar que hoje temos um grupo muito maior de brasileiros vivendo fora do país do que de imigrantes vindo para cá”, explica. 

Como migrante boliviana, Yujra ressalta que falar de migração deve ser sempre um diálogo bilateral: falar de quem vem e de quem vai. “É importante a gente se permitir conhecer o outro”, destaca. 

O livro e a coleção Fazer Saúde
Em cinco capítulos, Saúde de Migrantes e Refugiados aborda a situação da mobilidade humana no mundo e da imigração no Brasil, a saúde como um direito humano para as comunidades de migrantes e refugiados, além de resumos sobre as experiências realizadas na Secretaria de Saúde do Município de São Paulo (SMSP), que, em 2016, contemplou rodas de conversas e sensibilização entre gestores e trabalhadores da saúde em unidades com grande fluxo de migrantes internacionais.

A coleção Fazer Saúde pretende contribuir para a qualificação de profissionais, pesquisadores e gestores do SUS, estimulando o diálogo entre conhecimentos científicos, educação, inovações tecnológicas, saberes e práticas em saúde. A defesa do SUS é uma das principais plataformas das pesquisadoras em seus posicionamentos públicos e acadêmicos. Por isso, a obra vai ao encontro dos preceitos da coleção, destacando a necessidade de acolhimento aos migrantes e refugiados como um fator de enriquecimentos para a sociedade, expressando, portanto, um projeto de fortalecimento de um SUS multicultural “que respeite, que acolha e cuide de todo e qualquer tipo de diferença humana", defendem as pesquisadoras.  

Sobre as autoras/entrevistadas
Mesmo antes da declaração oficial de pandemia por parte da Organização Mundial da Saúde (OMS), Deisy de Freitas Lima Ventura tem sido uma importante fonte sobre o novo coronavírus na imprensa. Saiba mais clicando aqui. Em debates e entrevistas para veículos nacionais e internacionais, a advogada tem abordado temas ligados à saúde global. Doutora em Direito Internacional pela Universidade de Paris 1/Pantheón-Sorbonne (França), Ventura é coordenadora do Doutorado em Saúde Global e Sustentabilidade da FSP/USP e presidente da Associação Brasileira de Relações Internacionais (Abri).  

Veronica Quispe Yujra é doutora em Patologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e atua como dentista semiologista na SMSP. É fundadora e coordenadora do coletivo Sí, Yo Puedo, espaço de acolhimento que promove a integração de migrantes em São Paulo. Ela escreveu recente artigo sobre as relações entre a mobilidade humana e o novo coronavírus para o Museu da Imigração. Clique aqui para ler.

Programas inéditos
A nova temporada do Ciência e Letras teve início no dia 5 de maio. Entrevistas com autores da Editora Fiocruz foram exibidas nos programas mais recentes: o pesquisador Ricardo Ventura Santos, a cientista política Vanessa Elias de Oliveira, o médico epidemiologista João Baptista Risi Junior, além de bate-papos sobre livro eletrônico e a reedição de O Massacre de Manguinhos.  

Ao longo dos 13 programas inéditos, que serão exibidos até o final de julho, a Editora Fiocruz participará com temas diversos. Das entrevistas com autores de títulos publicados em 2019, destaque para os livros Poliomielite no Brasil: do reconhecimento da doença ao fim da transmissão; Saúde de Migrantes e Refugiados; Entre Demografia e Antropologia: povos indígenas no Brasil; Judicialização de Políticas Públicas no Brasil; Parto Natural, Parto Humanizado: perspectivas de mulheres de camadas populares e médias e a reedição de O Massacre de Manguinhos.

Edições sobre livros digitais e desafios do mercado de livrarias também fazem parte das contribuições da Editora. Entre os programas que celebram ícones da literatura nacional, bate-papos sobre Clarice Lispector, Mário de Andrade, Hilda Hist, Patativa do Assaré e José Lins do Rego completam a temporada.
       
➡️ Clique aqui para assistir ao bate-papo sobre O Massacre de Manguinhos
➡️ Clique aqui para assistir à entrevista de Ricardo Ventura Santos
➡️ Clique aqui para assistir ao bate-papo sobre livro eletrônico.
➡️ Clique aqui para assistir à entrevista de Vanessa Elias de Oliveira.
➡️ Clique aqui para assistir à entrevista de João Baptista Risi Junior, na estreia da nova temporada. 

Quando e como assistir
Além dos novos episódios nas manhãs de terças-feiras, há diversos horários alternativos para quem não quer perder nenhum programa. Confira:
✔Terças: 10h (inéditos) - 14h - 20h
✔Quintas: 10h - 14h - 20h
✔Sábados: 13h30
✔Domingos: 18h

Para ter acesso ao Ciência e Letras e à programação completa do Canal Saúde, clique aqui para saber como assistir. As entrevistas também ficam disponíveis no site especial dedicado ao programa e no YouTube oficial do canal.

Sobre o Ciência e Letras
Fruto de uma parceria entre o Canal Saúde e a Editora Fiocruz, o Ciência e Letras fez sua estreia na programação da emissora em 2008. Voltado aos amantes de livros em geral, o programa apresentado por Renato Farias promove o encontro entre a escrita acadêmico-científica – com ênfase em assuntos ligados às diversas áreas da saúde a partir das publicações da Editora – e os temas de outros saberes, como a poesia e a literatura brasileira.

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar