Início do conteúdo

Inova Labs e Inova SVS: empreendedorismo e inovação


02/10/2020

Cristiane Boar (VPPCB)

Compartilhar:

A iniciativa de levar para a comunidade da Fiocruz o domínio do empreendedorismo científico é o principal objetivo do Programa Inova Labs. A iniciativa é uma parceria com o  Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (DecitT/SCTIE/MS), com a metodologia e experiência da Biominas Brasil. 

O Inova Labs foi formulado de modo a preencher uma lacuna de capacitação dos servidores e alunos de pós-graduação e tem como meta a aceleração de projetos inovadores. A iniciativa está alinhada à Política de Inovação da Fiocruz.  

Para o vice-presidente de Pesquisa e Coleções Biológicas (VPPCB), Rodrigo Correa, o Inova Labs é “uma iniciativa que traz para o pesquisador o entendimento das mais diversas áreas, de como a pesquisa dele tem a qualidade para chegar ao mercado. A aproximação com o empreendedorismo é a evolução para a possibilidade de transformar uma ideia em uma empresa com um produto final. O treinamento muda a forma de pensar e melhora o diálogo que anteriormente estava restrito ao laboratório.Com essa pré-aceleração, é possível ampliar o alcance do que é feito dentro da Fiocruz.” 

Ao longo do Inova Labs, os pesquisadores podem conhecer experiências de outros empreendedores e trocar ideias. Participam de palestras sobre liderança e autoconhecimento; design de informação; discursos que influenciam; e técnicas de criatividade para nomes em negócios, entre outras atividades que buscam validar oportunidades, criar estratégias e desenvolver novas habilidades de forma ágil, direcionada e experimental. As equipes também receberam orientações de apresentação, de negócios e propriedade intelectual. 

Treinamento 

Durante 10 semanas, os pesquisadores recebem treinamento para desenvolver ideias numa perspectiva de negócios. São produtos, serviços e processos inovadores que podem solucionar problemas reais da população brasileira. Os projetos são avaliados quanto a importância de sua articulação com as unidades produtoras da Fiocruz e na estruturação de modelos alternativos para a transferência do conhecimento gerado para a sociedade. 

Na primeira rodada, 20 projetos foram selecionados, com a participação de aproximadamente 60 pessoas. As equipes apresentaram propostas em busca de soluções para lacunas relevantes do sistema público de saúde, nas áreas de oncologia e emergências sanitárias. 

Premiação 

As semanas de treinamento foram finalizadas em novembro de 2019. Quatro equipes receberam premiação pelo seu desempenho e apresentação. A OncoID A ficou em primeiro lugar. A startup presta serviço de diagnóstico preciso e eficaz para o câncer de próstata, auxiliando no direcionamento personalizado do tratamento e aumentando a chance de cura. 

Em segundo lugar ficou o OmniLamp,  que oferece soluções rápidas para a detecção de dengue, zika e Chikungunya. Com a pandemia, ampliaram a aplicabilidade do seu dispositivo pra realizar também diagnóstico de Covid-19.  

As equipes PreSAgE e 3Ddoose9 ficaram empatas em terceiro lugar. De maneira rápida e econômica, a PreSAgE identifica com precisão alvos específicos para o desenvolvimento de novos e eficazes testes diagnósticos de tumores e doenças. Já a 3Ddoose9 é uma startup que desenvolve medicamentos impressos em 3D para uso pediátrico, chegando na dose correta para os usuários.  

Segunda rodada 

A rodada 2 começou em fevereiro. Com o início das medidas de distanciamento social, os pesquisadores retomaram às atividades de maneira virtual. Além das áreas estratégicas da primeira rodada, a edição incluiu doenças negligenciadas como área temática das soluções, ideias, projetos ou startup. Também ocorreu a possibilidade de participação de estudantes de pós-graduação da Fiocruz como integrantes da equipe.  

O encerramento da segunda rodada acontecerá em outubro, com transmissão no canal da Fiocruz no YouTube. O programa prevê mais duas rodadas, ainda sem data definida para realização. 

Parceria SVS 

O sucesso do Inova Labs na Fiocruz ampliou a parceria com a Biominas e com Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS). Em agosto, foi lançado o Inova SVS, promovendo parcerias nas áreas de detecção oportuna; monitoramento de dados, informações e indicadores; resposta e comunicação de risco.  

Dez equipes participam do treinamento, também adaptado ao formato virtual, com suporte na construção de estratégias adequadas para a inserção de uma nova solução no mercado e o desenvolvimento de habilidades empreendedoras da equipe.  A previsão é que o treinamento seja finalizado na última semana de outubro.  

No canal do YouTube da Fiocruz estão disponíveis vídeos dos pesquisadores falando sobre as suas soluções em apenas um minuto. Clique aqui para ver.

Voltar ao topoVoltar