Início do conteúdo

Fiocruz oferecerá disciplina transversal em Ciência Aberta para pós-graduandos


16/07/2021

Valentina Leite (VPEIC/Fiocruz)

Compartilhar:

Um novo modo de fazer ciência: mais colaborativo, transparente e sustentável. O que é e por que aplicar os conceitos da Ciência Aberta? Estudantes da Fiocruz poderão descobrir através da disciplina transversal Introdução à Ciência Aberta, que será oferecida pela Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC/Fiocruz).

Qualquer aluno matriculado em um programa de pós-graduação Stricto sensu da Fiocruz que tenha aderido à disciplina poderá se inscrever. A disciplina estará disponível na modalidade educação remota emergencial entre os dias 1 de outubro e 10 de dezembro de 2021. No total, estão previstas 60 vagas*.

Com carga horária de 45 horas, a disciplina apresentará os fundamentos, perspectivas e dimensões atuais da Ciência Aberta. Os estudantes terão contato com informações e referências sobre as novas práticas, os limites e os recursos necessários para tornar suas pesquisas mais visíveis para a comunidade científica e para a sociedade.

A coordenadora da disciplina e coordenadora de Informação e Comunicação da Fiocruz, Vanessa Jorge, relembra a importância do curso: “As disciplinas transversais tratam de temas estratégicos para a formação de novos pesquisadores da Fiocruz e a Ciência Aberta é um destes temas”, pontua. “A reflexão sobre o movimento de abertura da ciência é necessária não só nas pesquisas realizadas no âmbito da pós-graduação, mas também nas carreiras científicas. Os pesquisadores precisam estar preparados para as novas demandas, diálogos e desafios do fazer científico na atualidade”.

Por que fazer ciência aberta?

Diversos atores do campo científico vêm apoiando e fomentando práticas relacionadas ao movimento da Ciência Aberta, como periódicos científicos, financiadores de pesquisas e instituições científicas, como a Fiocruz. A proposta dos autores do curso é que os estudantes sejam inseridos nessa prática, de forma a estarem preparados para refletir e responder a essas demandas durante a vida acadêmica.

“O discente deve ter clareza desse novo modo de fazer pesquisa científica: como poderá aplicar os conceitos estruturantes da Ciência Aberta em suas práticas? De que forma podemos sensibilizar o corpo discente para a utilização das ferramentas disponíveis a partir das Políticas de Ciência Aberta da Fiocruz?”, propõem os autores como reflexão.

A Fiocruz já está inserida na discussão da Ciência Aberta: desde a publicação de sua Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, em 2014, até o lançamento  mais recente de sua Política de Gestão, Compartilhamento e Abertura de Dados para a Pesquisa, em 2020. Mais informações em: portal.fiocruz.br/ciencia-aberta.

Sobre a disciplina

A disciplina será composta por cursos obrigatórios e opcionais, totalizando quatro séries que compõem a já lançada Formação Modular em Ciência Aberta. Ao final de cada módulo, que ficarão disponíveis para acesso durante 10 dias cada, haverá discussões com os professores – tudo em modalidade remota. Após a conclusão, o aluno deverá realizar os exercícios propostos e entregar um trabalho final. 

Ao final do curso, os concluintes serão capazes de:

  • Entender o que é a ciência aberta; 
  • Conhecer as principais dimensões da ciência aberta;
  • Compreender como tornar sua própria pesquisa mais aberta e como isso pode beneficiar o desenvolvimento da sua pesquisa.

 

Acesse aqui o passo a passo para a adesão dos Programas de Pós-graduação da Fiocruz ou saiba mais sobre disciplinas transversais.

 

*Atualizada em 23/08/2021.

Voltar ao topoVoltar