Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

25/11/2019

Fiocruz lança cartilha de prevenção à violência armada


Por: Luiza Gomes (Cooperação Social da Fiocruz)

No dia 25/11, a Fiocruz realizou o pré-lançamento da Cartilha de Prevenção à Violência Armada em Manguinhos, no auditório do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz), no Campus Manguinhos. O material informativo aborda o impacto da violência armada na saúde de moradores e trabalhadores do território e ficará disponível para download a partir deste dia.
 
Além de informações sobre a rede de proteção social a vítimas de violência, medidas preventivas e de tratamento, a cartilha apresenta indicadores do impacto na saúde dos moradores de Manguinhos, Maré e Jacarezinho. Segundo pesquisa divulgada no informativo, o sofrimento psíquico foi o agravo mais percebido entre 88 moradores e moradoras desses territórios entrevistados: 80% responderam que a violência com uso de armas de fogo afeta sua saúde, de sua família ou pessoas próximas.
 
Os agentes da segurança pública também são impactados. De acordo com dados da Comissão de Análise da Vitimização Policial da Polícia Militar do Rio de Janeiro que constam do material, todo dia de três a quatro policiais são afastados com diagnósticos psiquiátricos na corporação. Em um levantamento referente ao ano de 2018, quase metade dos 1.320 militares licenciados em decorrência de problemas de saúde foi afastada por reações ao estresse grave (567).
 
A cartilha também dispõe de um capítulo dedicado ao Transtorno de Estresse Pós-Traumático construído pela pesquisadora do Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca da Fiocruz (Claves/Ensp), Fernanda Serpeloni. Outro item esclarece dúvidas comuns entre moradores sobre como proceder durante a abordagem policial, revista e invasão de domicílio.
 
Segundo Leonardo Bueno, do Programa de Promoção de Territórios Urbanos Saudáveis da Cooperação Social da Fiocruz, o pré-lançamento da cartilha inicia uma campanha de prevenção à violência armada em Manguinhos a ser feita no território, mas também junto a autoridades e instituições ligadas à saúde, segurança pública e direitos humanos. Além da Fiocruz, o material - que foi construído junto a policiais do conselho comunitário de segurança local, moradores e trabalhadores – será lançado também em espaços de participação social de Manguinhos.
 
"O lançamento dessa cartilha é resultado do esforço da Fiocruz para avançar em diagnósticos e pesquisas sobre o tema, relacionando a questão da violência armada como pauta da saúde pública; e, ao mesmo tempo, é fruto das experiências concretas de prevenção que construímos junto a moradores, trabalhadores e movimentos sociais", apontou Bueno.
 

Voltar ao topoVoltar