Início do conteúdo

Fiocruz inaugura Fórum de Ciência Aberta

22/09/2021

Valentina Leite (VPEIC/Fiocruz)

Compartilhar:

O primeiro Fórum de Ciência Aberta da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) foi realizado na última quinta-feira, dia 16, e contou com a participação de diversos representantes de unidades e pesquisadores da instituição. Uma ciência mais colaborativa e transparente é o que preza a ciência aberta, área que, com a inauguração do Fórum, dá mais um importante passo em direção à institucionalização na Fiocruz.

De maneira totalmente on-line, o objetivo do primeiro encontro foi realizar um balanço das ações de acesso aberto, recursos educacionais abertos e gestão, compartilhamento e abertura de dados para pesquisa. Foram apresentados projetos da instituição na área, como o Campus Virtual Fiocruz, o Educare e o repositório Arca. Também foi feito um levantamento de possíveis desafios para compor o planejamento estratégico da área nos próximos anos, além de contribuições para o Congresso Interno da Fiocruz.

O Fórum está sob a coordenação da Vice-presidência de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz (VPEIC/Fiocruz), através da Coordenação de Informação e Comunicação (CINCO), e a coordenação adjunta do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT/Fiocruz).

“Trata-se de uma nova instância de governança das estratégias e políticas de ciência aberta da instituição. É o amadurecimento de um longo processo, que se desdobrou em muitas iniciativas e políticas estratégicas. Abarca diversas áreas: mais ligadas diretamente às políticas que já estão institucionalizadas e outras referentes à ciência da informação, à educação e à pesquisa”, pontuou Cristiani Vieira Machado, vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação.

Foram convidados pesquisadores de diversas áreas para compor o Fórum, pois “entende-se que o debate de ciência aberta é um debate de todos nós”, afirmou Cristiani. Segundo ela, é uma instância também de planejamento, sobre o desdobramento das estratégias e políticas a serem implementadas nos próximos anos. De acordo com calendário, já estão previstas pelo menos quatro reuniões em 2022 – o Fórum deverá se reunir periodicamente, pelo menos uma vez por trimestre.

A coordenadora de Informação e Comunicação e coordenadora do Fórum, Vanessa Jorge, compartilhou a emoção de estreia do Fórum e de tudo o que a sua constituição representa. “Observo o quanto o trabalho da Fiocruz é referência para outros atores do país em ciência aberta. Apesar dos desafios, continuamos pioneiros nessa conversa e nesse debate sobre abertura, proteção e gestão de dados”, pontuou durante a reunião.

Já o diretor do ICICT/Fiocruz e coordenador-adjunto do Fórum, Rodrigo Murtinho, afirmou que o Fórum aumenta a capacidade da Fiocruz de pensar uma estratégia ampla e estruturada na área da ciência aberta. “Não é à toa que é composto por tantos atores, ao inaugurarmos este Fórum é possível termos um espaço concreto para pensar grandes estratégias e unir todas as frentes da instituição de maneira combinada”, disse.

Saiba mais sobre ciência aberta na Fiocruz e acesse as políticas de Acesso Aberto ao Conhecimento e de Gestão, Compartilhamento e Abertura de Dados para Pesquisa.

No Portal Fiocruz

Mais Notícias

Voltar ao topoVoltar