Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

16/11/2015

Diabetes: um desafio mundial


Renata Augusta / Portal Fiocruz

Atualmente, 415 milhões vivem com diabetes no mundo e a perspectiva é de que esse número aumente para 642 milhões até 2040, segundo o relatório de 2015 da Federação Internacional de Diabetes (IDF - sigla em inglês). Em razão da tendência de aumento dos casos, especialmente do tipo 2 da doença, que acomete 90% dos diabéticos do mundo, a IDF, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceram 14 de novembro como o Dia Mundial do Diabetes, para promover a conscientização sobre a doença em nível mundial. 

No Brasil, o relatório da IDF conta 12 milhões de adultos vivendo com diabetes em 2015, o que corrobora os dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), que em 2013 já constatava a existência de 9 milhões de adultos vivendo com diabetes no Brasil. Esse número corresponde a 6,2% da população adulta. A pesquisa foi realizada em parceria pelo IBGE e Ministério da Saúde, que fornece seis medicamentos gratuitos contra a diabetes por meio do programa Farmácia Popular, além de insulina e instrumentos de aplicação e medição do açúcar no sangue.

O aumento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) – câncer, doenças respiratórias, violências e diabetes - marcam o século XXI e respondem por 72% da mortalidade prematura no Brasil. No caso do diabetes, as principais razões apontadas pelos especialistas para o aumento da doença são a alimentação incorreta e o sedetentarismo, mas a pesquisa Doenças crônicas não transmissíveis, um grande desafio da sociedade contemporânea, publicada na Revista Ciência & Saúde Coletiva, vol.19, 2014, acrescenta a questão dos determinantes sociais e afirma que as DNCT atingem com maior intensidade pessoas de baixa renda, mais expostas aos fatores de risco.

Para contribuir para a conscientização sobre a doença, o Portal Fiocruz inaugura uma nova área com informações diversificadas a respeito do Diabetes. Navegue.

No Portal Fiocruz

Mais Notícias

Voltar ao topoVoltar