Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Coletivo da Periferia Brasileira de Letras inaugura a Casa do Museu Popular da Bahia

27/06/2022

Grupo de Arte Popular A Pombagem / Periferia Brasileira de Letras

Compartilhar:

No dia 02 de julho, data em que se comemoram os festejos da Independência do Brasil na Bahia, a Casa do Museu Popular da Bahia será inaugurada no bairro de Fazenda Grande do Retiro, território periférico da cidade de Salvador. Idealizada pelo Grupo de Arte Popular A Pombagem, coletivo que integra a Periferia Brasileira de Letras (PBL), a Casa também funcionará como um museu comunitário e um centro de referência em estudos de Artes de Rua, Educação Patrimonial e Museologia Popular.

A ideia da Casa vem no sentido de satisfazer às demandas do coletivo, principalmente a necessidade de prosseguir com as investigações em torno do que seus membros chamam de arte-educação patrimonial. De acordo com Janete Brito e Fabricio Brito, mãe e filho que encabeçam a ideia, ser arte-educador patrimonial é usar a arte-educação como expediente metodológico para valorizar e potencializar o patrimônio cultural. Em outras palavras, é articular arte, educação e patrimônio em prol do desenvolvimento da comunidade. 

Com base na afirmação de que “a rua é o museu do povo”, a Casa se colocará para além de um espaço de conservação, guarda e exposição de objetos ou peças mnemônicas. Em vez disso, numa perspectiva de museu vivo, comunitário e popular, a Casa promoverá, através do Grupo de Arte Popular A Pombagem, ações culturais e educativas em ruas e praças do bairro de Fazenda Grande do Retiro, dialogando com os diversos patrimônios culturais da comunidade.

O bairro de Fazenda Grande do Retiro tem histórias incríveis, e uma delas é bastante inspiradora: a Festa do Lixo. Considerada um patrimônio cultural da comunidade, a Festa do Lixo remonta ao dia 2 de julho de 1975, data em que os moradores locais, num gesto considerado de Independência, reuniram-se para recolher o lixo das ruas e o abandonaram diante da Imprensa Oficial do Estado da Bahia, localizada no mesmo bairro. 

A Festa durou entre 1975 e 1985 e acontecia sempre na data de comemoração da Independência da Bahia. Além de denunciar o descaso da prefeitura em relação à coleta de lixo e de reivindicar o direito a um ambiente saudável, os festeiros se manifestavam recitando poesias e protestando pelo fim da ditadura civil-militar no país. Inspirada nessa memória de luta e resistência, a Casa será inaugurada, no próximo 2 de julho, com uma roda de conversa sobre a Festa do Lixo enquanto patrimônio cultural. 

A Casa do Museu Popular da Bahia também será um espaço de pesquisa, pois, além das atividades estritamente artístico-culturais, promoverá encontros e seminários sobre museologia popular e novas possibilidades de musealização. Segundo mãe e filho, esta empreitada permitirá que as experiências museais em ruas e praças públicas, realizadas há mais de 10 anos pelo Grupo de Arte Popular A Pombagem, constituam objeto de reflexões mais aprofundadas sobre o tema.

No segundo ano de pandemia, o Grupo de Arte Popular A Pombagem iniciou uma campanha virtual pelo instagram para mobilizar colaboradores em prol da inauguração da Casa. Através de doação pelo pix as pessoas foram apoiando e se tornando uma base fundamental para ajudar nas demandas do espaço. Com a campanha foi possível pagar algumas contas de água e luz, além de adquirir dois bonecos gigantes. Tem ocorrido doações de todo tipo: instrumentos musicais, tecidos e adereços, bebedouro, uma mala de brinquedos etc. Para fazer parte dessa rede de colaboradores, basta entrar em contato através do @apombagem ou doar pelo pix janjansilvabrito@hotmail.com.

O Grupo de Arte Popular A Pombagem surgiu em 2009 na periferia de Salvador, mais especificamente nas ruas e praças dos bairros de Fazenda Grande do Retiro e São Caetano. Os pombos, como são chamados os membros do coletivo, escreviam poesias que refletiam os dramas sociais de suas comunidades. Com o passar do tempo as poesias dos pombos foram se transformando em dramaturgias para espetáculos de teatro de rua. Atualmente, o grupo tem se dedicado ao espetáculo “O Museu é a Rua”, que é resultado de investigações estéticas e poéticas em torno da questão museal. 

A programação terá o seguinte formato: às 8 horas da manhã começará o mutirão de limpeza do espaço com artistas do grupo e moradores locais envolvidos no processo; às 12 horas acontecerá o almoço comunitário; às 14 horas será iniciada a roda de conversa sobre a Festa do Lixo enquanto patrimônio cultural; e às 16 horas será o momento do sarau de poesias. A Casa do Museu Popular da Bahia está localizada na Rua Melo Morais Filho, nº 331, no bairro de Fazenda Grande do Retiro, Salvador-Ba. 

Fotos da matéria: Hércules Bressy

Sobre o projeto Periferia Brasileira de Letras

A Periferia Brasileira de Letras (PBL) advém da trajetória da Coordenação de Cooperação Social da Presidência da Fiocruz no assessoramento a organizações de base sócio comunitária, contribuindo para experiências de territorialização de políticas públicas para territórios socioambientalmente vulnerabilizados. A finalidade da rede PBL é que coletivos de favela e periferia estejam organizados para reivindicação de políticas públicas no campo da leitura, livro, literatura e bibliotecas que sejam adequadas às peculiaridades dos territórios de favela e periferia.

Serviço
Inauguração da Casa do Museu Popular da Bahia
Local: Rua Mello Morais Filho, nº 331, Fazenda Grande do Retiro.
Data: 2 de julho de 2022
Organização: Grupo de Arte Popular A Pombagem - coletivo que integra a Periferia Brasileira de Letras (PBL)
 

 

Voltar ao topoVoltar