Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Carta de agradecimento


02/08/2018

Compartilhar:

O 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, o Abrascão 2018, que a Fiocruz teve a satisfação de sediar na última semana de julho, foi um evento extraordinário, de grande sucesso e repercussão, e se converteu em um marco histórico para as atividades de ambas as instituições e para todo o campo da saúde coletiva. Entre tantos momentos de emoção, afirmação de valores e profundo debate científico e político, que ocorreram desde as oficinas, cursos e outras atividades pré-congresso, realizadas na Uerj e em nosso Campus Manguinhos, torna-se difícil mencionar destaques e é mesmo mais relevante ressaltar a força de um pensamento e uma prática coletiva, que todos sentimos e compartilhamos.

Esse êxito se deveu, em grande parte, à dedicação e ao comprometimento da nossa comunidade - de profissionais de todas as unidades, estudantes, trabalhadores da infraestrutura, centenas de voluntários e de todos aqueles que, de uma forma ou de outra, participaram e contribuíram para a realização do evento.

Também é importante agradecer à comunidade a compreensão da importância do Congresso e a necessidade de pausar as atividades de rotina durante a sua realização. Nos quatro dias recebemos em nosso campus, com zelo, carinho e compromisso, mais de 7 mil congressistas que debateram, refletiram e conviveram em cerca de 700 atividades e mais de 4 mil comunicações científicas em 89 salas, o que reforçou o tema do Abrascão deste ano: Fortalecer o SUS, os direitos e a democracia.

Tivemos a oportunidade de receber vários convidados internacionais e, como convidada especial, a ex-presidente do Chile Michelle Bachelet, que declarou se sentir muito honrada de participar do Abrascão na Fiocruz pelos temas debatidos, pela qualidade dos convidados e, sobretudo, porque aqui, como ela disse, se respira um clima de fraternidade onde se compartilham lutas e causas e aspira-se ao mesmo horizonte em comum de desenvolvimento pleno.

O Congresso coroou décadas de colaboração entre a Abrasco e a Fiocruz, uma parceria que se iniciou em 1979, além de ter tratado com profundidade dos principais desafios conjunturais. Desde os eventos preparatórios, em particular no Seminário Direito ao Desenvolvimento, à Saúde e à Ciência, Tecnologia e Inovação, em conjunto com a SBPC e o GT de Ciência e Tecnologia da Abrasco, vimos consolidando uma agenda propositiva, fundamental para o debate sobre os caminhos para o país no momento em que teremos eleições para a Presidência da República, os governos estaduais e o Legislativo em âmbitos federal e estadual. Foi também com muita consciência sobre nosso papel institucional que participamos, durante o Abrascão, do lançamento da 16ª Conferência Nacional de Saúde, que terá como tema Democracia é saúde.

Foi a primeira vez que a Fundação sediou um evento com tal importância política e grandiosidade, garantindo um espaço público e democrático para debatermos e corajosamente enfrentarmos os desafios do Brasil e particularmente do Rio de Janeiro. Promover este Congresso, neste momento da vida nacional, e nomear a tenda principal do Abrascão de Marielle Franco foi mostrar, mais uma vez, que o Campus Manguinhos é um território do SUS e da democracia e que precisa de paz, assim como as comunidades vizinhas. Nossa convivência nos quatro dias mostrou que isso é possível.

Uma renovada alegria foi ver centenas de pessoas, em especial de outros estados do Brasil, conhecendo e ocupando o centenário Castelo de Manguinhos, símbolo de uma instituição que atualiza constantemente a sua agenda. Igualmente indicador de sucesso foi ver os congressistas, tanto pesquisadores quanto militantes de movimentos sociais, circulando pelos espaços de debate com otimismo, com energia, com alegria sobretudo, com a esperança de quem luta pelo SUS e pela democracia e vislumbra fecundas possibilidades a partir deste Congresso.

Por tudo o que vimos, debatemos e vivemos no Abrascão, e pelo empenho e esforço de toda a comunidade da Fiocruz, o meu muito obrigada!

Nísia Trindade Lima, Presidente da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar