Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

08/07/2019

Atenção às doenças de inverno

Médico com uma seringa de vacina na mão

Por: Penélope Toledo (INCQS/Fiocruz)

O inverno chegou e traz consigo algumas doenças características, transmitidas por bactérias, fungos e vírus. Devido às suas baixas temperaturas, esta estação reduz a imunidade do corpo e facilita o surgimento de patologias como gripe Influenza, resfriado com coriza aguda, dermatites causadas pela exposição ao frio, pneumonias, bronquites, asmas e meningite, dentre outras.

Para evitar, é importante que as pessoas lavem sempre as mãos, evitem mudanças bruscas de temperatura (choque térmico) como sair com os cabelos molhados após banho quente, cubram as extremidades do corpo e o pescoço (luvas, meias e cachecóis), agasalhem adequadamente as crianças e optem por líquidos não gelados.

No caso das doenças cujo contágio se dá pelo ar e por partículas de secreção, deve-se evitar aglomerações, esquivar-se de locais fechados, manter os ambientes arejados, cobrir a boca com lenço ao tossir ou espirrar e estar com a vacinação em dia.

O coordenador do Serviço Técnico Programático (Núcleos Técnicos/NT), Eduardo Netto, destaca a importância da prevenção. “As pessoas, em geral, procuram tratamento depois que adoecem, quando o ideal é a medida preventiva, como os cuidados e a vacinação”, declarou.

Vale ressaltar que essas doenças, se não forem tratadas adequadamente, podem evoluir para sinusites, otites, amigdalites e laringites.

INCQS e as vacinas

O Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz) desempenha um importante papel social no controle da qualidade das vacinas contra algumas destas enfermidades. As análises envolvem os quatro departamentos técnico-científicos do Instituto: Farmacologia e Toxicologia (DFT), Imunologia (DI), Microbiologia (DM) e Química (DQ).

A coordenadora do Núcleo Técnico de Produtos Biológicos (NT PB), Maria Aparecida Boller, explica que o INCQS analisa vacinas H1N1, Haemophilus influenzae tipo b (Hib), pneumocócica 10-valente e meningococica-C. “O Instituto realiza testes físico-químicos, de segurança e de potência e a avaliação é feita lote a lote, com rigor, para que o produto chegue com qualidade para o uso da população”. 

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar