Início do conteúdo

07/06/2018

Abertura de dados para pesquisa será discutida na Fiocruz


Por: Raiza Mourinho (Fiocruz Bahia))

Um novo fazer científico, mais colaborativo, transparente e sustentável. É o que promete a Ciência Aberta, um movimento que propõe a abertura de processo de produção do conhecimento. Para discutir na Fiocruz a abertura de dados para pesquisa, o diretor de documentação da Universidade do Minho (Portugal), Eloy Rodrigues, referência mundial sobre o tema, comenta o panorama europeu no evento Abertura de dados para Pesquisa na Fiocruz: perspectivas de um novo paradigma da Ciência.

Além de Rodrigues, as diversas dimensões da abertura de dados para pesquisa em saúde serão discutidas pelo coordenador do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs/Fiocruz Bahia), Mauricio Barreto; o advogado especialista em proteção de dados e privacidade Danilo Doneda; e a pesquisadora do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz), Vanessa Arruda. O encontro ocorre no dia 15 de junho, das 9h às 13h, no auditório do Museu da Vida, no Campus de Manguinhos, no Rio de Janeiro.

Agenda institucional

O evento marca o início da discussão com a comunidade da Fiocruz sobre a abertura de dados para pesquisa na instituição. Na ocasião, será apresentado o Termo de Referência: Gestão e Abertura de Dados para Pesquisa na Fiocruz, um documento elaborado pelo Grupo de Trabalho em Ciência Aberta (GTCA) para subsidiar o início do debate sobre a temática.

A visão estratégica da Fiocruz sobre a abertura de dados será apresentada no início do evento pelo vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação da instituição, Manoel Barral. Em seguida, a coordenadora de Informação e Comunicação da VPEIC e do GTCA, Paula Xavier, apresenta um panorama geral sobre a temática.

O GTCA

O Grupo de Trabalho em Ciência Aberta da Fiocruz (GTCA) foi iniciado em março de 2017 sob coordenação da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC/Fiocruz) e financiamento do Ministério da Saúde , por meio da Plataforma Zika, do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs/Fiocruz Bahia). O GTCA também está vinculado ao Observatório em Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, da Fiocruz, e já produziu o livro Ciência aberta e dados abertos: mapeamento e análise de políticas, infraestruturas e estratégias em perspectiva nacional e internacional, que sistematiza e analisa as experiências de oito países e da União Europeia em dados abertos.

Informações

Evento: Abertura de dados para Pesquisa na Fiocruz: perspectivas de um novo paradigma da Ciência
Data: 15/6/18
Local: Auditório do Museu da Vida (Manguinhos, Fiocruz)

Programação

9h – Abertura –  Visão estratégica da Fiocruz sobre a abertura de dados para pesquisa
Manoel Barral-Neto – Vice-Presidente de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC)

9h20 – Gestão e abertura de dados de pesquisa: o que é, para que e como?
Paula Xavier – Coordenadora do grupo de trabalho em Ciência Aberta, Coordenadora de Informação e Comunicação da VPEIC

9h40 – Dimensões da abertura de dados em saúde
Mediadora – Anne Clinio, pesquisadora GTCA

  Eloy Rodrigues – Panorama europeu sobre abertura de dados e estratégias de capacitação
  Diretor de documentação da Universidade do Minho, Portugal

  Mauricio Barreto – Produção de conhecimento em saúde: o potencial do uso de dados administrativos com finalidade de pesquisa
  Coordenador do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs)

  Vanessa Arruda – Abertura de dados no contexto de emergência sanitária: resultados preliminares de pesquisa
  Pesquisadora GT Ciência Aberta, INCQs

  Danilo Doneda – A questão da Privacidade na abertura de dados para pesquisa
  Assessor jurídico GT Ciência Aberta

11h – 11h30 – Café

11h30 – 13h – Debate com a Plateia

Voltar ao topoVoltar