Início do conteúdo

Mural de homenagem a Antônio Ivo

Protagonista na história de construção do Sistema Único de Saúde (SUS) e do movimento da Reforma Sanitária, Antonio Ivo de Carvalho faleceu na quinta-feira (10/6). Formado em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1974, Antonio Ivo era Mestre em Ciências pela Escola Nacional de Saúde Pública, quando defendeu em 1994 a dissertação Conselhos de Saúde no Brasil, foi diretor da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp) por nove anos, entre 2004 a 2013, e coordenador do Centro de Estudos Estratégicos (CEE) no período de 2014 a abril de 2021. 

Antonio Ivo também foi chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ) durante a gestão Sérgio Arouca (1987) e subsecretário durante a gestão de José Carvalho de Noronha (1988-90); além de vice-presidente do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e integrante do Conselho Consultivo da entidade. Referência no campo da saúde pública no país, professor, pesquisador e exemplo no trato pessoal e profissional, teve como sua marca a inovação nas práticas de gestão, a generosidade e a abertura ao diálogo e ao debate de ideias. 

O velório ocorre nesta sexta-feira (11/6), ao meio-dia, na Capela Premium A do Crematório São Francisco Xavier, no Caju. E a cremação será às 14h.

Neste espaço serão reunidas as homenagens de colegas e Unidades da Fiocruz ao professor, gestor e pesquisador. 

Deixe sua mensagem

CAPTCHA
Este campo é para verificar se o formulário está sendo enviado por uma pessoa.

Mural de mensagens

Falar de Antonio Ivo de Carvalho não é fácil. Cheguei à Escola Nacional de Saúde Pública em agosto de 2001, vindo como jornalista de uma assessoria de futebol para um universo completamente novo para mim: SUS; Saúde Pública; descobrir que a Fiocruz é muito mais que um castelo. E Ivo foi o primeiro gestor que conheci na ENSP, ele como vice-diretor da Escola de Governo e, depois, como diretor da Escola. Com ele aprendi o que foi a Reforma Sanitária brasileira, a importância de uma saúde universal, equitativa e igualitária, o papel da educação à distância, entre muitas outras coisas. Ao longo dos anos, foram inúmeras coberturas jornalísticas, e, posso afirmar, Ivo tinha o dom de cativar – e ensinar da forma mais simples – seu público sempre que tomava a palavra. Foram ótimos papos dentro e fora da ENSP, pois tive o privilégio de conhecer Antonio Ivo que não era o diretor de uma das principais unidades da Fiocruz. Caminhos profissionais nos levaram a rumos diferentes, mas, sempre que o encontrava, ele perguntava pelo meu filho, pedia para ver fotos e que carinhosamente chamava de "colosso", mostrando que além de um grande diretor, gestor, profissional de saúde, ele era um ser humano que se preocupava com o próximo. Ivo foi uma daquelas pessoas que dificilmente você encontrará na vida novamente. Perde a ENSP. Perde a Fiocruz. Perde a saúde pública brasileira. Perdemos todos nós com Ivo nos deixando.
Antonio Fuchs, jornalista do INI/Fiocruz
sex, 11/06/2021 - 18:20
Generosidade, confiança, diálogo e afetividade simbolizam Antonio Ivo. Assim foi na Direção da ENSP, na construção do CEE e na sua implementação. Mais recentemente, a convite dele, me somei à equipe do CEE. E, nesses tempos pandêmicos de 2020-2021, Ivo se entusiasmou com a proposta de desvendar as condições de trabalho dos profissionais de saúde na pandemia, assumindo comigo e Francisco Campos, a coordenação dos projetos em curso (em parceria CEE e ENSP). Não faltou estímulo, generosidade e apoio institucional para todos nós da equipe de pesquisa. Como visionário e defensor perpétuo do SUS, ele nos acolheu e nos proporcionou o melhor ambiente de trabalho. Ele partiu repentinamente, e será muito difícil, triste, não tê-lo mais conosco. Resta-nos agradecer para sempre e dedicar nossos estudos a você, Ivo – médico, profissional de saúde –, símbolo de resistência, compromisso e atuação impecável no Sistema Único de Saúde. Salve nosso querido e amado Ivo!
Maria Helena Machado – pesquisadora da ENSP/Fiocruz e CEE
sex, 11/06/2021 - 18:19
No meu convívio com Ivo, além das muitas qualidades como pessoa ética e comprometida com o SUS, a equidade e uma sociedade melhor, percebi outras dimensões menos racionais. Tinha clara paixão pelas pessoas próximas revelada, para mim, sobretudo em sua relação com a Ana. Também sua ousadia. Abriu o espaço de sua mente e de seu coração para novos conhecimentos, me dando ânimo para o diálogo e crescente pertencimento ao campo da saúde coletiva. Quanta força deu para o mestrado em CT&I e, há duas semanas, me ligou para dizer que estaríamos juntos na eterna busca de algo inovador que juntasse o mundo do desenvolvimento com o mundo da saúde e dos direitos. Firmamos um pacto de um trabalho junto e ousado no CEE. Também gostávamos de fofocar. Confesso. Mas aquela fofoca sem maldade, que une e que significa amizade e a busca de uma sociabilidade em tempos tão sombrios. Ia na sua sala no CEE e era impossível não sair melhor, com um sorriso e um sentimento de que estive com um “cara incrível” e que era possível falar sobre tudo sem dogmas e sem medos. Sentia que estávamos e que estaríamos cada vez mais juntos. Precisava de sua ousadia e de seu desprendimento. E de sua leveza. Como precisava… Ele se foi. Mas me deixou um caminho de busca. Ivo, serei mais próximo ainda de você, que ficará rondando, como Arouca e Oswaldo Cruz, o castelo e os meandros da Fiocruz, do país e das pessoas. Estamos juntos, meu querido amigo, em construção. Um beijo no coração. Para você, para a Ana e para todos que te amam.
Carlos Gadelha, coordenador do CEE/Fiocruz
sex, 11/06/2021 - 18:18
“Não há como analisar o processo de construção do SUS em toda a sua complexidade e riqueza sem nos referirmos a Antônio Ivo e à sua trajetória como pesquisador, professor e gestor. Sua rica trajetória construída ao longo de muitas décadas revela uma pessoa profundamente comprometida com o social e com as transformações necessárias para que nosso país pudesse conquistar um nível diferenciado de desenvolvimento. Ele deixa também uma profunda marca na trajetória da ENSP e da própria Fiocruz. Pessoa muito querida por todos que conviveram com ele. Sua ausência nos deixa a todos órfãos de seu carisma, alegria e generosidade. Viva Antonio Ivo de Carvalho!“
José Gomes Temporão, do CEE
sex, 11/06/2021 - 18:16
"Antes de tudo, Ivo foi um grande amigo, sempre acolhedor, pronto para interagir, solidário, instigante e, por vezes, querelante, com suas visões abrangentes, agudíssima capacidade analítica, erudição e humor refinado. É toda uma história de vida, sempre marcante, nas lides da saúde coletiva, do Cebes, da Abrasco, da Fiocruz. Era sempre uma voz aguardada com expectativa em nossas pajelanças dos momentos críticos e nas reuniões do Conselho Deliberativo da Fiocruz. Suas realizações na ENSP têm a marca da permanência, em especial na área da Educação e dos modelos democráticos de atenção à saúde nos territórios. Quando deixou a Direção da ENSP, tive a felicidade de criar o Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz e convidá-lo para dar corpo e alma ao que se tornou uma referência de rica produção de conhecimento e visões críticas para os tempos contemporâneos e prospecção de futuro. A tristeza e a saudade dilaceram, mas carregamos um acervo de memórias afetivas e de construção coletiva, em que Ivo estará sempre presente."
Paulo Gadelha, ex-presidente da Fiocruz
sex, 11/06/2021 - 18:15

Páginas

Voltar ao topoVoltar