Início do conteúdo

A Ivo: Homenagem da Presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, a Antônio Ivo de Carvalho


10/06/2021

Compartilhar:

Médico sanitarista, militante da reforma sanitária, pensador, construtor do SUS. Professor, pesquisador, diretor da Ensp, gestor na Fiocruz. Pai, avô, companheiro, amigo. 

Antônio Ivo de Carvalho foi tudo isso e muito mais. Ele nos deixou em 10 de junho, um dia após completar 71 anos. Foram quase 50 anos de trajetória profissional dedicados à saúde pública e ao SUS, que ajudou a conceber e a construir. Como jovem médico sanitarista, em meados dos anos 1970  mudou-se para Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, para lutar pelo acesso aos serviços de saúde junto a movimentos sociais urbanos que, na sua compreensão, tiveram papel fundamental na reforma sanitária. Foi sujeito desse processo, por meio da prática nos serviços, da ação política, e de suas ideias sobre as transformações necessárias no sistema de saúde, em interação com os diversos grupos e atores que conformaram o movimento sanitário. Pude dar uma pequena contribuição para os estudos desse período inspirador para o movimento sanitário e a luta democrática em nosso país ao escrever, em colaboração com Fernand Pires Alves e Carlos Henrique Paiva, um artigo sobre a experiência que quatro médicos sanitaristas- Antonio Ivo de Carvalho, Anna Leonor de Carvalho, José Noronha e Lucia Souto - construíram em Nova Iguaçu.

Toda a sua trajetória nas décadas seguintes seria marcada pela defesa da democracia, da participação social e do direito à saúde, questões destacadas nas suas reflexões e produção acadêmica. Além disso, o compromisso com o fortalecimento do campo da Saúde Coletiva e do SUS permearam sua atuação na SES-RJ, no CEBES e na Abrasco.  Na Ensp/Fiocruz, durante três décadas foi professor, pesquisador e finalmente diretor, de 2004 a 2013, período em que também contribuiu para os rumos da Fundação Oswaldo Cruz, por meio de sua participação no Conselho Deliberativo e nos Congressos Internos. Muitas vezes, ao pensamos na obra de um profissional ou de u intelectual, relacionamos a produção acadêmica na forma de livros e artigos e não destacamos o árduo trabalho de construção institucional.  E Antonio Ivo foi, sobretudo um ousado construtor institucional. Muitas de suas realizações na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, a exemplo da Escola de Governo e da Educação a Distância, foram fundamentais para a Ensp contemporânea, além de inspirarem novos modelos e políticas para o conjunto da Fiocruz.

Nos últimos anos, esteve à frente da criação e coordenação do Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz, um espaço dedicado ao pensamento sobre o presente e  futuro da instituição e a reflexões e pesquisas sobre temas de destaque  para a Saúde Coletiva e o SUS em sua interface com os desafios relativos ao desenvolvimento nacional e à efetivação dos direitos sociais. 

Ivo partiu quando o coração não conseguiu mais acompanhar sua energia e dinamismo. Fará muita falta neste mundo, que precisa de lideranças comprometidas com a redução das desigualdades e a luta pela justiça social.  Era um leitor voraz e um crítico arguto e por diversas vezes me beneficiei de conversas instigantes, além de ter sido presenteada com livros, sempre escolhidos como incentivo a novos diálogos Sua presença, olhos brilhantes e sorriso amplo deixarão saudades em todos que o conheceram. Que sua trajetória e ideias permaneçam vivas em nossa memória e inspirem os caminhos da Fiocruz.

Nísia Trindade Lima
Presidente da Fiocruz   
 

Voltar ao topoVoltar