Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Coronavírus: Perguntas e respostas

Compartilhar:

Esta página especial reúne as Perguntas e Respostas sobre o Coronavírus SARS-CoV-2 e a doença Covid-19 publicadas no Portal Fiocruz. Como se trata de uma doença recente, a cada momento novas descobertas estão sendo feitas. Por isso, as orientações técnicas podem mudar e é sempre importante verificar as datas de publicação dos conteúdos e buscar por informações atualizadas em sites de instituições confiáveis, como a Organização Mundial da Saúde, o Ministério da Saúde e a Fiocruz.

Navegue, tire suas dúvidas e compartilhe conteúdo de qualidade.

Para mais informações, entre em contato pelo Fale Conosco da Fiocruz.

Sugestão, reclamação, solicitação ou elogio devem ser enviados para a Ouvidoria da Fiocruz por meio do formulário disponivel no sistema FalaBR.

 

Mais sobre Covid-19 no Portal Fiocruz

Conheça os ensaios clínicos em andamento com candidatos a vacinas, os estudos pré-clínicos com novas alternativas e as últimas atualizações sobre a futura produção de vacina contra a doença na Fiocruz.

 

Confira as notícias, vídeos e novidades da Fiocuz sobre a pandemia, tire dúvidas e acesse material para compartilhar nas redes sociais.

 

Exibindo 25 de 97 perguntas encontradas
Opções avançadas

Atualizado em 29/04/2022: O novo coronavírus pode permanecer no ar por cerca de 40 minutos a até 2 horas e meia. Nas superfícies, sua sobrevivência irá depender do tipo de material. Quando estamos doentes e falamos, tossimos ou espirramos, liberamos gotas muito pequenas de saliva ou de secreção do nariz cheias de vírus.

      • Transmissão / Infecção

Atualizada em 29/04/2022: A limpeza de superfícies pode ser feita com água e sabão (qualquer sabão de uso comum, como detergentes), álcool a 70% ou hipoclorito (água sanitária) a 0,1%. Tome cuidado ao usar água sanitária, pois ela é tóxica e pode prejudicar o trato respiratório (órgãos que usamos para respirar).

      • Transmissão / Infecção
      • Prevenção

Sim. (...) O Ministério da Saúde, por meio de teleatendimento, disponibiliza canais para manter a população informada sobre o novo coronavírus. Esses canais gratuitos orientam quando procurar...

      • O que causa a doença?
      • Prevenção

Sim. O Ministério da Saúde tem apoiado instituições e monitorado diariamente pesquisas que objetivam identificar um tratamento efetivo para a Covid-19. Entre elas, em especial um consórcio de estudos que utilizará o plasma sanguíneo convalescente de pacientes recuperados da doença.

      • Tratamento
      • Pesquisas e estudos relacionados

Atualizado em 09/06/2021 - Azitromicina é um antibiótico e, portanto, não ataca vírus. Os antibióticos são indicados apenas contra bactérias.

Pergunta e resposta elaboradas a partir do Fale Conosco do portal Fiocruz

 

      • Tratamento

O vírus que causa a Covid-19 pode permanecer no ar por cerca de 40 minutos a até 2h30min. O vírus fica no ar porque as pessoas infectadas com ele, quando tossem, espirram ou falam, liberam gotas muito pequenas de saliva ou secreção do nariz cheias de vírus. 

 

      • Transmissão / Infecção

Atualizado em 03/05/2022: É o intervalo entre a data do primeiro contato com o vírus até o início dos sintomas da doença. No caso do novo coronavírus, o período de incubação varia de 2 a 14 dias. Isso quer dizer que a pessoa pode já estar com o vírus, mas desenvolver sintomas só depois de 2 a 14 dias.

      • Sintomas e progressão

Revalidada em 03/05/2022: Sim, é possível. Por isso, é recomendado evitar esse tipo de contato físico, uma vez que pessoas sem sintomas também podem transmitir a doença.

      • Transmissão / Infecção

Para um correto manejo clínico desde o contato inicial com os serviços de saúde, é preciso considerar e diferenciar cada caso (...)

      • Diagnóstico
      • Tratamento

Atualizada em 07/06/22: A recomendação do Ministério da Saúde é que pessoas com 40 anos ou mais e trabalhadores da saúde, de todas as idades, devem tomar a segunda dose de reforço contra a Covid-19. Para receber esse novo reforço, é preciso ter tomado o primeiro reforço (terceira dose) há pelo menos quatro meses.

      • Quem deve tomar a vacina

A Fiocruz recomenda que sim, em algumas situações. É fundamental que os pais continuem a seguir as medidas de prevenção da doença, pois o vírus ainda está circulando no Brasil. As máscaras são muito importantes para o controle da pandemia, já que protegem quem as está usando e as pessoas ao redor.

      • Cuidados com idosos e pessoas com baixa imunidade

Pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidas); pessoas com doenças crônicas como doenças cardiovasculares (do coração), diabetes, hipertensão arterial (pressão alta), obesidade; idosos, pessoas não vacinadas ou que não tomaram todas as doses da vacina; profissionais de saúde e outros trabalhadores expostos a grande circulação de pessoas...

      • Cuidados com idosos e pessoas com baixa imunidade

USE MÁSCARA: em lugares fechados e com muita gente, como transportes públicos, academias de ginástica ou salas de aula sem distanciamento e com pouca ventilação.

 

      • Cuidados com idosos e pessoas com baixa imunidade

Isso irá depender da vacina que o seu filho tomou. A segunda dose da vacina pediátrica da Pfizer (indicada para crianças de 5 a 11 anos) deve ser tomada após o intervalo de 8 semanas. Já a segunda dose da CoronaVac, indicada para crianças a partir dos 6 anos, deve ser tomada após 28 dias.

      • Calendário vacinal e quantidade de doses

Não é verdade que as crianças não desenvolvem casos graves da Covid-19.

      • Quem deve tomar a vacina

Não é verdade. As vacinas aprovadas pela Anvisa para uso em crianças passaram por vários testes internacionais antes de serem liberadas no Brasil. Essas vacinas são consideradas seguras e fornecem boa proteção contra a Covid-19 para o público infantil.

 

      • Mitos e verdades
      • Boatos

Não há nenhum perigo de a vacina contra a Covid-19 causar problemas para a vida futura das crianças. Pelo contrário, as vacinas são importantes e vão ajudar as crianças a chegarem à vida adulta com muita saúde. 

 

      • Composição e segurança

As crianças de 5 a 11 anos e os adolescentes precisam tomar duas doses da vacina para estarem totalmente imunizadas (protegidas). Ainda não existem estudos científicos que indiquem a necessidade de uma dose de reforço (terceira dose) para este público.

 

      • Importância e funcionamento da vacina

Após o seu filho tomar a vacina contra a Covid-19, você deve esperar 15 dias até que ele possa tomar qualquer outra vacina.

 

Fonte: Ministério da Saúde

      • Cuidados com grávidas, recém-nascidos e lactantes

Se o seu filho testou positivo para a Covid-19, ele deve esperar 30 dias para tomar a vacina.

      • Composição e segurança

Sim. Embora as crianças adoeçam menos por Covid-19 e evoluam com menos frequência para formas mais graves da doença, elas podem transmitir o vírus dentro e fora da escola. 

 

      • Cuidados com grávidas, recém-nascidos e lactantes

A miocardite (inflamação do músculo do coração) é um evento muito raro e mais frequente em crianças e adolescentes que contraíram a Covid-19 do que como reação adversa da vacina.

 

      • Cuidados com grávidas, recém-nascidos e lactantes

Apesar de a Covid-19 ser considerada menos grave em crianças e adolescentes, a doença também pode evoluir para formas mais graves e causar morte. 

      • Cuidados com grávidas, recém-nascidos e lactantes

Revalidada em 03/05/2002. Sim, as vacinas que foram aprovadas pela Anvisa para uso em crianças de 05 a 11 anos são seguras para serem utilizadas no público infantil.

      • Composição e segurança

Atualizado em 30/5/22. Se reações adversas consideradas leves a moderadas, como febre, dores pelo corpo, dor de cabeça, calafrios e mal-estar geral estiverem incomodando e durarem por mais de 3 dias, entre em contato com o seu médico. Somente o profissional de saúde poderá indicar o uso de algum medicamento para aliviar os sintomas.

      • Sintomas e progressão

Páginas

Voltar ao topoVoltar