Início do conteúdo

Livro registra expressões artísticas durante a pandemia


10/02/2021

Por: Lucas Rocha (IOC/Fiocruz)*

Compartilhar:

Expressões artísticas durante a pandemia
O distanciamento social, medida usada como estratégia para prevenir a transmissão da Covid-19, trouxe mudanças nos ambientes de trabalho, nas atividades escolares e nas dinâmicas sociais – fatores que afetam diretamente a saúde mental. Pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) encontraram uma forma de representar, por meio da arte, os diferentes contextos relacionados à pandemia do novo coronavírus.

Lançado nesta quarta-feira (10/2), o livro Expressões artísticas durante a pandemia reúne fotos, desenhos, textos e pinturas que ilustram diferentes aspectos, como a atuação dos profissionais de saúde na linha de frente do combate à Covid-19, a exaustão e o medo do diagnóstico da doença e narrativas do novo normal que inclui o uso de máscaras e o isolamento. A iniciativa é um compilado das criações de 54 autores, entre estudantes, professores e pesquisadores dos campos de ensino, ciências e artes do IOC e de instituições de ensino e pesquisa. O material está disponível para download gratuito na plataforma Porto Livre, portal de livros em acesso aberto da Fiocruz.

“Muitos artistas se inspiram em momentos críticos da humanidade e buscam nas artes o seu refúgio perante a tristeza, a solidão e as dificuldades enfrentadas. Nosso livro tem como objetivo principal reunir e divulgar as expressões de sentimentos e emoções de profissionais de saúde, durante esse período da pandemia, demonstrando que apesar desse momento tão difícil podemos nos reinventar”, destaca a idealizadora da obra, a pesquisadora do Laboratório de Inovações em Terapias, Ensino e Bioprodutos do IOC, Valéria Silva Trajano, coordenadora do Programa de Pós-graduação Lato sensu em Ciência, Arte e Cultura na Saúde e docente do Programa de Pós-graduação Stricto sensu em Ensino em Biociências e Saúde, ambos do Instituto.

A organização do livro também conta com os especialistas Antonio Gonçalves, do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisas Médicas do IOC, Jonathan Oliveira, da Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fiocruz e do Programa Translacional de Promoção da Saúde da Fundação (FioPromoS), e Mauro Campello, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz).

Edição: Vinicius Ferreira

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar