Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Instituto Carlos Chagas realiza ''Cafeminina'' em alusão à comemoração de Mulheres e Meninas na Ciência


16/02/2020

Por: João Boueri

Compartilhar:

A Coordenação de Extensão do Instituto Carlos Chagas/Fiocruz Paraná promoveu na última terça-feira, Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência, o evento ''Cafeminina'' que faz parte do projeto ''No Rastro de Merit'', aprovado no edital ''Mais Meninas na Fiocruz'' lançado pela Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC) da Fiocruz em parceria com o Grupo de Trabalho Mulheres e Meninas na Ciência. Um dos objetivos da iniciativa é oportunizar a estudantes de territórios vulneráveis o contato com a instituição de pesquisa, a história e a vida de cientistas mulheres.

Foto: Itamar Crispim - ICC/Fiocruz Paraná

Durante o ''Cafeminina'', a coordenação do projeto divulgou o lançamento da chamada pública ''Cientista-Madrinha'' que tem por objetivo possibilitar a troca de experiências e expectativas entre jovens aspirantes à carreira científica e profissionais contemporâneas dedicadas à área de ciência e tecnologia. &T. A seleção será voltada para estudantes do sexo feminino do ensino básico (Fundamental I, II e Ensino Médio) das escolas públicas de Curitiba – PR e região metropolitana. As selecionadas passarão um dia no Instituto Carlos Chagas/ Fiocruz Paraná, acompanhadas de cientistas mulheres, que serão designadas como suas ''madrinhas'', para lhes mostrar o dia-a-dia da profissão, formas de atuação, possibilidades e desafios, e relatar suas experiências. As inscrições estarão abertas até o dia 29 de fevereiro de 2020 e a visita das estudantes à unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz se dará nos dias 24 e 25 de março.

O evento contou com a participação de mulheres do Instituto de Biologia Molecular do Paraná, Instituto de Tecnologia do Paraná e Instituto Carlos Chagas que trabalham com pesquisas científicas e que puderam assistir o filme ''Estrelas Além do Tempo'', baseado na história verídica de três cientistas negras da Nasa que revolucionaram o seu ambiente de trabalho. Em seguida, a coordenação do evento conduziu uma conversa sobre as questões que trazem essas mulheres ao campo científico.

Em entrevista exclusiva ao portal de Mulheres e Meninas na Ciência da Fiocruz, Maria das Graças Rojas Soto, coordenadora de Extensão do Instituto Carlos Chagas, contou a sua expectativa sobre o projeto e ressaltou a importância da comemoração do Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência. ''O nosso maior desejo é abrir caminhos para que as mulheres, estudantes e a sociedade em geral visualizem as possibilidades dentro da área científica. O saldo do evento do dia 11 de fevereiro foi positivo. Conseguimos mostrar o que de fato estamos querendo com essa iniciativa. Sinto que a mobilização tende a crescer. A expectativa é sensibilizar o público interno da Fiocruz Paraná/ICC e o público externo. O Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência é crucial para entendermos a importância da igualdade de gênero dentro da ciência. O edital lançado pela Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação, em parceria com o GT Mulheres e Meninas na Ciência, é extremamente importante e não podemos esquecer o fato que temos uma presidente mulher. A primeira presidente mulher da Fundação Oswaldo Cruz. Precisamos estar coesas quando tratamos sobre essa temática.'' 

Ademais, o projeto ''No Rastro de Merit'' ainda prevê a construção de um jogo contemplando mulheres cientistas que fizeram história com suas trajetórias de vida e as pesquisas por elas desenvolvidas, voltado para a sociedade em geral, em níveis etários, a partir de 03 anos e a realização de um seminário sobre ciência, gênero e raça.

Merit Ptah foi a primeira cientista da qual se tem conhecimento (2.700 a.C.); mulher negra, africana, praticava a cura medicinal no antigo Egito

Acesse a chamada pública ''Cientista-Madrinha''.

Faça sua inscrição.

Mais informações no hotsite de Mulheres e Meninas na Ciência do Instituto Carlos Chagas/Fiocruz Paraná.

 

Voltar ao topoVoltar