Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Editora Fiocruz lança segundo volume sobre a trajetória das leishmanioses no Brasil

17/01/2023

Luiza Trindade/Editora Fiocruz

Compartilhar:

A emergência sanitária causada pelo novo coronavírus reforçou, em diversos canais e redes, a importância de trazer à luz os muitos estudos e projetos que narram a história das grandes pandemias, epidemias e endemias. São pesquisas de enorme valor no resgate da memória e do papel desempenhado pelas comunidades e instituições científicas – como a Fiocruz – desde os seus primórdios.

Neste momento crucial para a ciência, a Editora Fiocruz lança o segundo volume de uma obra concebida em três partes, que apresenta novas contribuições para a história da saúde pública do país. O primeiro volume, Uma História das Leishmanioses no Novo Mundo (fins do século XIX aos anos 1960), escrito pelos pesquisadores Jaime Larry Benchimol e Denis Guedes Jogas Junior, coedição com a Fino Traço Editora, foi vencedor do prêmio ABEU de 2021, na categoria Ciências da Vida. Nele, os autores Jaime Larry Benchimol e Denis Guedes Jogas Junior construíram um panorama mundial sobre o processo de singularização da leishmaniose, trazendo à tona diferentes sujeitos que participaram dos debates, de arqueólogos a biomédicos, em contextos sociopolíticos e temporais diversos. A obra está disponível na Livraria Virtual da Editora.

Agora, em Uma história das leishmanioses no Novo Mundo (anos 1960 ao século XXI): Amazônia, Benchimol, em coautoria com Cláudio de Oliveira Peixoto, apresenta os primeiros desdobramentos da narrativa original. Os pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz dão destaque para a expansão da parasitologia, enquanto campo de investigação. Segundo eles, no período abordado, essa ciência torna-se policêntrica – e um dos principais nós de uma rede global, de investigadores e instituições dedicados ao assunto, desenvolve-se no Brasil, particularmente na Amazônia.

Se os autores esmiúçam as controvérsias científicas inerentes à parasitologia, também exploram as agruras políticas e ambientais específicas dessa região, como as decorrentes da descoberta de Carajás ou da construção da Transamazônica. O que costura a narrativa transdisciplinar são as leishmanioses, presentes no horizonte de interesses de pesquisadores de diversas nacionalidades, nas agendas de instituições de pesquisa e de agências governamentais, no dia a dia de serviços médicos e de saúde e na vida das populações afetadas por desastres perpetrados pelo Estado brasileiro.

Doenças desafiadoras à compreensão biológica e epidemiológica, as leishmanioses sempre despertaram paixões entre os diversos pesquisadores que a elas se dedicaram, além de levantarem dilemas sobre o controle eficaz e as suas formas de tratamento. Classificadas em três tipos principais (cutânea, mucocutânea e visceral), as leishmanioses, assim como a doença de Chagas, a malária e demais enfermidades tidas como negligenciadas, continuam a representar um importante problema de saúde pública, no Brasil, nas Américas e em diversas áreas do Velho Mundo.

Sobre os Autores

Cláudio de Oliveira Peixoto é analista de Gestão em Saúde da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) no Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD- Fiocruz Amazônia). Doutorando do Programa Saúde Global e Sustentabilidade – Universidade de São Paulo (USP), é mestre em Saúde Pública no Programa Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia - PPGVida/Fiocruz Amazônia. Possui especialização em Informática Educativa (2003) e em Gestão Educacional (2008), ambas pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), e graduação em História pela mesma instituição (1999).

Jaime Larry Benchimol é professor do PPGHCS/COC/Fiocruz e do Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVida/Fiocruz Amazônia). É doutor em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), onde também concluiu graduação na área. É mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Coppe/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Membro do conselho editorial da  Revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Autor e organizador de livros sobre história da saúde pela Editora Fiocruz, incluindo títulos sobre febre amarela, além de volumes especiais em homenagem ao Instituto Oswaldo Cruz e ao pesquisador Adolpho Lutz.

 

Livro | Uma História das Leishmanioses no Novo Mundo (anos 1960 ao século XXI): Amazônia
Editora Fiocruz | Coedição Garamond
Primeira edição: 2022
964 páginas
Preço: R$ 140,00

Voltar ao topoVoltar