Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Sala de Convidados debate o lugar da residência em saúde no SUS


25/11/2020

Fonte: Canal Saúde

Compartilhar:

Mesmo quem não é da área da saúde, provavelmente já ouviu falar sobre o que é residência e a importância dela na formação de futuros profissionais. Mas, por influência de filmes, novelas e séries de televisão, geralmente quem não é da área pensa que residentes são apenas médicos que se formaram na faculdade e começaram o aprendizado da profissão na prática após a graduação. A ideia, de maneira geral, não está errada, mas pode-se dizer que é limitada, já que há 15 anos existem residências multiprofissionais em saúde. Estas, voltadas para as diversas categorias profissionais que integram a área da saúde, exceto a médica.

As Residências Multiprofissionais em Saúde foram criadas em 2005, com a promulgação da Lei 11.129, e têm o objetivo de promover a inserção qualificada de profissionais de saúde de diversas formações no mercado de trabalho, especialmente em áreas prioritárias do Sistema Único de Saúde (SUS). Com duração mínima de dois anos, as residências multiprofissionais são especializações que equivalem a pós-graduações Lato Sensu com ênfase na prática. E é o lugar da residência em saúde no SUS que o Sala de Convidados vai discutir nesta quinta-feira (26/11), ao vivo, às 11h, no Canal Saúde.

Para falar sobre o assunto, a apresentadora Yasmine Saboya conversa com a coordenadora das Residências em Saúde da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação da Fundação Oswaldo Cruz (VPEIC/Fiocruz), Adriana Coser; com a coordenadora da Comissão de Residência Multiprofissional da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (Coremu/Ensp/Fiocruz), Maria Alice Pessanha; e com a presidente da Comissão Estadual de Residência Médica do Rio de Janeiro, Susana Maciel Wuillaume. Não perca e participe!

Dicas importantes

O programa passou para quinta-feira, mas continua ao vivo no mesmo horário, das 11h às 12h. Outra mudança importante é para quem assiste por meio de antena parabólica. O Canal Saúde está em nova frequência, 4085, e com novo symbol rate, 4400. É necessário alterar essas configurações no receptor da parabólica para manter a sintonia no canal. Veja a seguir todas as formas de acesso ao Canal Saúde e como é possível o espectador ajudar a fazer o programa no dia.

Sobre o Sala de Convidados

Programa ao vivo, inédito toda quinta-feira, das 11h às 12h. Os temas em geral são factuais, relacionados às políticas públicas na área da saúde, e a participação do espectador pode ser antecipada ou no dia, com perguntas através do número 0800 701 8122, pelo WhatsApp 21 99701- 8122, pelas redes sociais do Canal Saúde ou pelo e-mail canal@fiocruz.br.

Como assistir 

Televisão: canal 2.4, no Rio de Janeiro e em Brasília e 1.4, em São Paulo, na multiprogramação da TV Brasil, no Sistema Brasileiro de TV Digital (também é acessível para celulares com TV); em todo o Brasil por antena parabólica digital (frequência 4085). Internet: acesse o site do Canal Saúde e clique em 'Assista Agora' na página principal (acessível por computadores e dispositivos móveis). Aplicativo: baixe o app do Canal Saúde em um dispositivo móvel e assista aos programas em tempo real.

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar