Início do conteúdo

IFF investe na transformação do ambiente hospitalar

Unidade Intermediaria do IFF com adesivos de arco-íris no teto e paredes

21/06/2021

Por: Everton Lima (IFF/Fiocruz)

Compartilhar:

Com o intuito de garantir um atendimento cada vez mais humanizado, integral e de qualidade à população, o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) investe em um projeto de ambiência colorido e representativo, a fim de transformar o ambiente hospitalar em um espaço de cuidado mais agradável e lúdico para pacientes, cuidadores e profissionais de saúde.

A iniciativa segue as premissas da Política Nacional de Humanização (PNH) do Ministério da Saúde (MS), que defende que “a humanização é a valorização dos usuários, trabalhadores e gestores no processo de produção de saúde. Valorizar os sujeitos é oportunizar uma maior autonomia, a ampliação da sua capacidade de transformar a realidade em que vivem, através da responsabilidade compartilhada, da criação de vínculos solidários, da participação coletiva nos processos de gestão e de produção de saúde”.

Ainda de acordo com a Política, a ambiência tem a proposta de “criar espaços saudáveis, acolhedores e confortáveis, que respeitem a privacidade, propiciem mudanças no processo de trabalho e sejam lugares de encontro entre as pessoas”. Nesse contexto, o projeto, idealizado pela coordenadora do Núcleo de Apoio a Projetos Educacionais e Culturais (Napec) do IFF/Fiocruz, Magdalena Oliveira, considera que os ambientes mais alegres buscam influenciar o clima hospitalar, amenizar os impactos do longo período de internação que os usuários passam no hospital durante os tratamentos, além de contribuir para mais chances de cura.

Magdalena explica o conceito da nova ambiência do Instituto. “Pensei em elementos da natureza e alguns outros que caracterizassem muitas das nossas crianças e adolescentes, como o oxigênio, a traqueostomia e a cadeira de rodas, o que trouxe uma inclusão e identificação dos nossos pacientes com as peças adesivadas”, destaca ela. As imagens foram cuidadosamente escolhidas para gerar uma sensação prazerosa para as crianças, cuidadores e profissionais. “As cores são um recurso útil, uma vez que temos uma relação profunda e intuitiva com elas. Trazem alegria, estimulam nossos sentidos e podem nos encorajar ao relaxamento, ao trabalho, ao divertimento e ao movimento”, completa.


Adesivos Napec (esquerda) e Ambulatório de Pediatria (direita).Imagem: IFF

A Sociedade de Promoção da Casa de Oswaldo Cruz (SPCOC/Fiocruz) foi a responsável por captar recursos, através da Lei de Incentivo Fiscal Municipal, com as empresas parceiras para que o projeto fosse realizado. Com o investimento, o Ambulatório de Pediatria, parte do segundo andar do prédio hospitalar, a Cirurgia Pediátrica (Cipe) e a Unidade Intermediaria (UI) foram contempladas com os novos adesivos. “Para as crianças é extremamente importante, porque visualizam no ambiente onde permanecem por longos períodos, figuras e cores, amenizando e alegrando o dia a dia. Para os pais, trouxe um pouco do ambiente familiar, colorido e acolhedor”, comenta o pediatra e gestor da UI do IFF/Fiocruz, José Luiz de Carvalho.

A enfermeira e também gestora da UI, Rosa Conceição, conta sobre o momento da instalação dos adesivos. “Todos receberam com muita alegria, no dia da instalação os olhares dos nossos pequenos pacientes estavam voltados para os coloridos instalados no teto e paredes. Foi emocionante!”, afirma ela, que parabeniza a iniciativa. “Nós, membros da equipe, nos sentimos privilegiados por um ambiente tão acolhedor, com mais leveza. Foi fundamental para a unidade, porque reforçou o nosso orgulho de trabalharmos na instituição. Agradecemos a iniciativa do Napec, na figura da Magdalena”.

A enfermeira da Cirurgia Pediátrica (Cipe) do IFF/Fiocruz Milene Lucio fala sobre os benefícios da nova ambiência. “Representa o lúdico, tão importante no atendimento dos pacientes pediátricos. As imagens de bichinhos, flores e natureza nas paredes e tetos trouxeram leveza, atraindo olhares para além das tecnologias duras presentes no ambiente. Alguns familiares relatam que, antes de chegarem ao hospital para cirurgias eletivas, estavam nervosos e ansiosos. Ao darem entrada na unidade, observam um ambiente acolhedor e se sentem confiantes e tranquilos”.

Milene declara que os desenhos, atrelados a outras estratégias, são essenciais em momentos de tensão, quando os pais entregam seus filhos à equipe multiprofissional do Centro Cirúrgico, e ressalta que todos aprovaram o resultado. “Muitos familiares contam que as imagens nas paredes distanciam daquele ambiente hospitalar tradicional, atraindo principalmente as crianças. Ao entrarem nas salas de cirurgia, elas se distraem com as ilustrações, o que torna o momento pré-cirúrgico imediato menos sofrível”.

Voltar ao topoVoltar