Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

12/12/2018

Fiocruz tem doutorados profissionais aprovados na Capes


Por: Valentina Leite (Campus Virtual Fiocruz)

Uma ótima notícia para a pós-graduação no Brasil. Foram aprovadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) duas propostas da Fiocruz para formação profissional a nível de doutorado. As propostas aceitas pela Capes foram o doutorado profissional em Gestão em Saúde, da Fiocruz Pernambuco, e o doutorado profissional em Gestão, Pesquisa e Desenvolvimento na Indústria Farmacêutica, que será ofertado pelo Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz). Ambos planejam a abertura de turmas em 2019.

A Fiocruz é pioneira na oferta de cursos de formação profissional na pós-graduação brasileira. Já existem, na fundação, diferentes programas de mestrado profissional que abrangem uma série de áreas da saúde. No entanto, não há ofertas para doutorado profissional. De acordo com Eduarda Cesse, coordenadora-geral adjunta da Coordenação-Geral de Educação da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (Vpeic/Fiocruz), ainda há certa resistência no meio acadêmico com a formação profissional.

“Parte da comunidade científica ainda tem certas questões com a pertinência do doutorado profissional”, disse Eduarda. “No entanto, observamos uma demanda muito grande de estudantes que finalizam o mestrado profissional e querem dar seguimento à sua formação. Aí está a importância destas novas propostas”, completou.

Segundo a coordenadora geral adjunta, o papel da Vpeic vem sendo de apoiar as unidades da Fiocruz neste sentido. “Apoiamos o lançamento das propostas porque acreditamos no potencial que as unidades têm, justamente pelo ótimo trabalho que realizam com suas turmas de mestrado”, comentou Eduarda. Ela afirmou que o resultado é uma grande felicidade e também um desafio – é preciso, agora, dar seguimento à implementação dos cursos.

Gestão em Saúde na Fiocruz Pernambuco

O curso de doutorado profissional em Saúde Pública da Fiocruz Pernambuco está estruturado na área de concentração Gestão em Saúde já existente para o mestrado profissional, com disciplinas distribuídas em quatro eixos temáticos: Gestão e Avaliação de Serviços de Saúde; Gestão da Vigilância em Saúde; Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde; e Gestão de Ciência e Tecnologia em Saúde. 

A vice-diretora de Ensino e Informação Científica da Fiocruz Pernambuco, Ana Paula do Nascimento, destacou o apoio e o incentivo da Vpeic ao longo de todo o processo. “Seremos pioneiros da oferta de cursos dessa natureza”, destacou.

Será exigência do programa que os trabalhos dos doutorandos estejam relacionados às suas práticas profissionais, o que reforça o papel institucional na formação de recursos humanos para a gestão pública e de C&T em saúde. Esse doutorado tem o objetivo geral de preparar profissionais para atuarem como formadores e indutores de processos de mudança em seus espaços de trabalho mediante a adoção de novos conceitos e práticas, desenvolvendo produtos de alta aplicabilidade ao desenvolvimento do Sistema Único de Saúde (SUS). 

O projeto pedagógico do curso foi elaborado pela coordenadora do Mestrado Profissional em Saúde Pública Idê Gurgel e por Ana Paula do Nascimento, com a colaboração dos docentes Constância Ayres; Eduarda Cesse; Garibaldi Gurgel; Kátia Medeiros e Pedro Miguel Neto. O documento foi analisado e homologado pelo Colegiado do Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Saúde Pública.

Farmanguinhos e a indústria farmacêutica

Com a aprovação, Farmanguinhos passa a contar com um Programa de Pós-graduação em Gestão, Pesquisa e Desenvolvimento na Indústria Farmacêutico que inclui o mestrado profissional e dois doutorados nesse segmento (Profissional e Acadêmico). Trata-se do primeiro curso desta modalidade no Brasil voltado para a área farmacêutica.

A previsão é de que a primeira turma comece no segundo semestre de 2019. A unidade aguarda a publicação da portaria da Capes, prevista para o próximo dia 28, para providenciar a efetivação da proposta enviada à entidade, que incluem detalhes como regulamento interno, novos professores, grades das disciplinas para, enfim, elaborar o edital de chamada pública. “Agora somos um Programa de Pós-graduação, o único no Brasil na área de Farmácia. Temos mestrado e doutorados com as mesmas linhas de outrora: Gestão Tecnológica da Pesquisa e Desenvolvimento na Indústria Farmacêutica; Pesquisa e Desenvolvimento para Prospecção de Produtos Farmacêuticos”, explica o coordenador do curso Jorge Magalhães.

“Mais do que um curso, Farmanguinhos ganha um Programa de Pós-graduação, que inclui mestrado e doutorados acadêmico e profissional. Temos de valorizar essa conquista, porque estamos há muitos anos lutando por isso”, salienta a vice-diretora de Ensino, Pesquisa e Inovação do Instituto, Núbia Boechat. Ela argumenta que os cursos a serem oferecidos partem de uma abordagem translacional. “Significa que a estrutura do nosso Programa de Pós-graduação contempla toda a cadeia produtiva de um medicamento, desde a pesquisa básica até o produto final”, enfatiza.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, que tem uma relação íntima com a área de conhecimento (já atuou como professora e foi vice-presidente da Fundação na área de Educação), ressalta que o doutorado profissional vai ao encontro da missão institucional. Ela destaca que o curso é uma iniciativa inédita que se traduz na integração da gestão, pesquisa e desenvolvimento na indústria farmacêutica. “Com caráter interdisciplinar e multiprofissional, seu objetivo é a formação de profissionais com um conjunto de habilidades que permitirá o desenvolvimento de competências que permeiam a cadeia da indústria farmacêutica e respectivas instituições de pesquisa”, observa.

Mariana Conceição, a coordenadora de Educação de Farmanguinhos, complementa: “Esse programa estava sendo preparado e esperado há muitos anos pelos pesquisadores de Farmanguinhos. Temos características únicas e estávamos formando nossos alunos em cursos do IOC [Instituto Oswaldo cruz] e da UFRJ [Universidade Federal do Rio de Janeiro]. Agora podemos formar um profissional completo, com o perfil único, que não será só especialista em sua área de atuação, mas que fará a integração entre as diversas áreas que compõem as etapas de descoberta e desenvolvimento de fármacos e medicamentos”.

Voltar ao topoVoltar