Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Fiocruz produz 54 milhões de unidades farmacêuticas em três meses de pandemia

Farmacêuticos trabalhando

08/06/2020

Por: Viviane Oliveira (Farmanguinhos/Fiocruz)

Compartilhar:

O novo coronavírus chegou e parou o mundo. Esvaziou as ruas e isolou as pessoas. Em meio a esta pandemia, o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) reitera seu compromisso com a saúde pública brasileira e segue na produção de medicamentos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Em quase três meses, a instituição fabricou mais de 54 milhões de unidades farmacêuticas de 14 diferentes produtos estratégicos para o SUS.

Segundo o diretor Jorge Mendonça, foi necessário alterar o planejamento anual de produção a fim de antecipar alguns medicamentos em função da pandemia. “Temos trabalhado ininterruptamente para garantir o abastecimento do SUS e, consequentemente, a continuidade do tratamento de milhares de pacientes que utilizam nossos medicamentos em todo o Brasil. Essas demandas são direcionadas principalmente às pessoas incluídas no grupo de risco, como os indivíduos que vivem com HIV/Aids, pacientes com tuberculose, malária, além daqueles submetidos a transplantes renais e que, por esta razão, necessitam de imunossupressor, e tantas outras pessoas assistidas na rede pública de saúde”, explica o diretor Jorge Mendonça.

Produção multidisciplinar 

Graças à sua moderna estrutura fabril, no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM), Farmanguinhos pôde variar suas linhas produtivas, o que refletiu diretamente na performance apresentada nos últimos meses. Desde o início da pandemia, o Instituto produziu mais de 15 milhões de cápsulas do imunossupressor tacrolimo, utilizado para evitar rejeição de órgão transplantado.

A unidade fabricou ainda os antivirais Ribavirina, para hepatite C; e Oseltamivir, para Influenza A (H1N1); e proveu o tratamento de malária, antecipando todo o fornecimento do ano do medicamento a Cloroquina. A instituição entregou também Isoniazida de 300 mg, usada por pacientes com tuberculose; Praziquantel, para tratamento de esquistossomose; e Vitamina A, para suplementação mineral.

Assistência a HIV/Aids

Farmanguinhos tem conferido uma atenção especial à produção de antirretrovirais. Essa categoria de medicamentos é extremamente importante no tratamento de outra parcela da população vulnerável a Covid-19: as pessoas que vivem com HIV/Aids. Ao todo, foram produzidas quase 32 milhões de unidades farmacêuticas de Lamivudina, Efavirenz, Nevirapina e Zidovudina, além das Doses Fixas Combinadas: Lamivudina+Zidovudina e Tenofovir+Lamivudina.

Jorge Mendonça destaca todo o esforço institucional para superar os desafios e transmitir aos pacientes a confiança e garantia da continuidade dos tratamentos. “Desde o início do isolamento social no Brasil, Farmanguinhos se organizou e criou um plano de contingência institucional, que estabelece as orientações e medidas para resguardar a saúde dos nossos profissionais a fim de manter as atividades essenciais. Criamos condições seguras de trabalho, da saída ao retorno do profissional a sua respectiva residência”, ressalta o diretor.

Mesmo com todos os esforços e medidas internas de prevenção, o vírus se espalha rapidamente e espera o mínimo descuido para agir. Sob esse aspecto, a chefe do Departamento de Produção, Beatriz da Silva, explica a dinâmica para suprir a ausência de profissionais afetados pela doença. “Tivemos alguns casos suspeitos de Covid e, para que os afastamentos não afetassem as demandas, reprogramamos alguns lotes para nos adequar. Organizamos plantões extras aos sábados, colaboradores de atividades administrativas passaram a dar suporte e conseguimos nos desdobrar para manter processos produtivos sem interrupções”, observa Beatriz.

Outras importantes áreas, que fazem parte do processo, mantiveram os profissionais em atuação para que o medicamento seja produzido e chegue às mãos dos pacientes. Para se ter uma ideia da alta performance institucional, além dos medicamentos enviados para o SUS, foi concluída a produção de lotes-piloto do Atazanavir, com vistas à inclusão de Farmanguinhos como local de fabricação deste importante antirretroviral.

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar