Início do conteúdo

Agendas da ONU e Opas para política e saúde são tema de evento


28/09/2021

Cristina Azevedo (Agência Fiocruz de Notícias)

Compartilhar:

Na semana passada, os olhos do mundo se voltaram para a sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York, para a 76ª Assembleia Geral da ONU. Paralelamente, a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) realizava o seu 59º Conselho Diretor e 73ª Sessão do Comitê Regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para as Américas. Mas em que momento as agendas desses fóruns se cruza? Para discutir o tema, o Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz) organiza, nesta quarta (29/9), Política, saúde e pandemia: Agendas da ONU e da Opas, como parte de seus Seminários Avançados em Saúde Global e Diplomacia da Saúde.

Para apresentar os resultados das duas reuniões, foram chamadas duas painelistas. Maria Fernanda Espinoza, ex-ministra da Defesa e das Relações Exteriores do Equador, e que presidiu a 73ª Assembleia Geral da ONU, falará sobre a agenda política global na assembleia mais recente. Já Socorro Gross, representante da Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil, tratará da agenda de saúde das Américas, tema do 59º Conselho Diretor da Opas.

Com mediação de Paulo Buss, coordenador do Cris/Fiocruz e ex-presidente da Fundação, o seminário contará ainda com a participação de dois pesquisadores sêniores e assessores do centro como debatedores: o diplomata Santiago Alcázar e Luiz Agusto Galvão, baseado em Washington.

"O tema da Covid-19 foi central na agenda dos chefes de Estado na Assembleia Geral da ONU. E no 59º Conselho Diretor da Opas, onde se reuniram todos os ministros da saúde da região, a pandemia foi obviamente também o tema central. Neste sentido, as duas agendas se cruzam e vamos destacar os principais pontos", explica Paulo Buss.

O coordenador do Cris/Fiocruz destaca o alerta feito pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, de que a crise não se limita à pandemia, mas envolve também a questão climática, a ambiental, a falta de igualdade no direito das mulheres e uma série de fatores que repercutem também no nosso hemisfério. Sobre a falta de equidade no acesso às vacinas nas Américas, Paulo Buss destacou a seleção feita pela Opas para a criação de dois polos de fabricação de vacinas de RNA mensageiro, sendo um deles a Fiocruz. 

O seminário Política, saúde e pandemia: Agendas da ONU e da Opas acontece nesta quarta, de 10h às 12h.

Em português:

Em espanhol:

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar