Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Últimos dias para inscrições na Chamada pública de comunicação popular e comunitária da Fiocruz


13/09/2022

Nathalia Mendonça (Cooperação Social da Presidência)

Compartilhar:

As organizações e coletivos interessados têm até o dia 19 de setembro (próxima segunda-feira) para a apresentação de propostas para a chamada pública de projetos de comunicação popular e comunitária para emergências sanitárias e suas consequências. As inscrições  devem ser feitas por formulário eletrônico. Também foi publicada hoje (13) uma errata que está disponível na página do edital. Esta chamada pública faz parte de uma parceria entre a  Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por meio de sua unidade em Brasília, do Canal Saúde e da Coordenação de Cooperação Social, com financiamento do Governo do Canadá.

Sobre as iniciativas de apoio aos projetos por meio de editais públicos, Daniela Araújo, coordenadora da organização não governamental Bem TV - Educação e Comunicação, beneficiada pelas duas edições da Chamada Pública da Fiocruz, comentou: "No início da pandemia em de 2020, quando a fome bateu às portas da classe trabalhadora, foi o apoio da Fiocruz que viabilizou a criação da Rede de Jovens Comunicadores para combater a desinformação e garantir renda mínima aos jovens e suas famílias. Ainda há muito a ser feito, mas nossa experiência provou que a comunicação é um direito que garante outros direitos e que como parceiro certo podemos mudar o mundo."

Oficina para elaboração de projetos 

Para incentivar a participação das organizações e coletivos, na tarde do dia 12 de setembro, foi realizado um encontro virtual para dialogar com todos os interessados em participar da chamada. A programação incluiu uma oficina de elaboração de projetos e um momento com esclarecimento de dúvidas sobre a chamada pública que foram enviadas pelos espectadores através da caixa de diálogo da transmissão.

Prevista no edital público, a oficina realizada buscou contribuir no apoio e alcance às organizações menos estruturadas e que têm menos oportunidades de captar recursos. “A questão da desigualdade econômica que a gente tem no nosso país se reproduz, se reflete entre as organizações da sociedade civil. Um dado antigo da Associação Brasileira de ONGs (Abong) mostra que 5% das organizações detém 95% de todos os recursos que se movimentam nesse mercado, a gente pode chamar assim, de captação de recursos. Então tem muita organização que consegue captar muito pouco ou nem consegue captar então a gente quer dar nossa contribuição”,  diz Márcia Castro, Superintendente do Canal Saúde e uma das coordenadoras da Chamada Pública.

O encontro virtual teve a presença de grupos de várias partes do Brasil interagindo com a atividade. Durante a atividade, os coordenadores da iniciativa reforçaram que a chamada pública é para organizações e coletivos de todo o país. 

Sobre os critérios de avaliação, Márcia Castro, que ministrou a oficina,  destacou os principais critérios para a avaliação e pontuação na hora da seleção dos projetos desta chamada pública em particular: “São esses cinco critérios: representatividade e legitimidade - o histórico da organização com aquela população que ela vai atender, com quem ela vai se envolver; inovação; viabilidade - o projeto ser viável; diversidade - atendimento às populações que historicamente estão vulnerabilizadas e a capacidade dele ser reaplicado em outros territórios”.

A gravação da atividade já está disponível no canal do YouTube da VideoSaúde da Fiocruz e pode ser acessada por todos que não tiveram disponibilidade de participar do encontro ao vivo. O material da oficina com todas as informações sobre a captação de recursos pode ser acessado também no site que hospeda o edital público.

 

Voltar ao topoVoltar