Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Pesquisadores discutem modelos de atenção primária à saúde em municípios rurais remotos


29/07/2022

Compartilhar:

A delimitação dos espaços rurais remotos do país é um tema ainda pouco desenvolvido em âmbito nacional, predominando o entendimento do rural como subproduto do urbano, sem que se atente para a diversidade desses contextos. Essa constatação vem orientando os trabalhos do projeto de pesquisa Atenção Primária à Saúde em territórios rurais remotos no Brasil, desenvolvido pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) e pelo Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE). O projeto tem à frente as pesquisadoras da Escola, Márcia Fausto, na coordenação, e Ligia Giovanella, na coordenação adjunta.

Nos dias 12 e 13 de julho, os integrantes do projeto se reuniram para discutir uma proposta de modelos organizacionais para APS no SUS orientada às populações do campo, florestas e águas. Modalidades de equipes de atenção; organização de serviços de primeiro contato com o usuário; práticas e processo de trabalho das equipes; vigilância em saúde; relação da APS com a atenção especializada; e interculturalidade, intersetorialidade e participação social, foram alguns tópicos debatidos no encontro, realizado de forma híbrida (presencialmente na sede do CEE-Fiocruz, e remota).  

De acordo com os pesquisadores, grande parte dos municípios rurais permanece como territórios “opacos às políticas sociais abrangentes”, reunidos em áreas de baixa densidade econômica e presença de populações vulneráveis, sendo necessário, assim, identificar suas especificidades, problemas e possíveis experiências em curso, no sentido de contribuir para a melhoria do acesso, da qualidade do cuidado e de políticas públicas direcionadas a essas populações. Conforme indica, ainda, o grupo de pesquisa, pela tipologia proposta pelo IBGE, são 323 os municípios classificados como rurais e remotos, e neles vivem 3.856.692 brasileiros.

O projeto Atenção Primária à Saúde em territórios rurais remotos no Brasil tem financiamento do Programa de Políticas Públicas, Modelos de Atenção e Gestão do Sistema e Serviços de Saúde (PMA) da Vice-Presidência de Pesquisa e Coleções Biológicas da Fiocruz (VPPCB).

Fonte: CEE

Voltar ao topoVoltar