Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

17/09/2018

Pesquisadora da Fiocruz Minas recebe medalha Ruth Nussenzweig


Fonte: Fiocruz Minas

As contribuições para os estudos de malária fizeram com que a pesquisadora Taís Nóbrega de Sousa, do Grupo de Biologia Molecular e Imunologia da Malária do IRR, fosse contemplada com a Medalha Ruth Nussenzweig por ter sido a vencedora do Prêmio Jovem Pesquisador Brasileiro de Destaque no Brasil. A premiação aconteceu durante a 15ª Reunião Nacional de Pesquisa em Malária, realizada entre os dias 3 e 5 de setembro, em Pernambuco.

“O prêmio não se deve a um trabalho específico, mas a um conjunto de contribuições que vêm impactando no combate à malária. Dessa forma, não é apenas um reconhecimento pessoal, mas uma valorização de todo o grupo, uma vez que todos os trabalhos são desenvolvidos em equipe, envolvendo outros pesquisadores e também estudantes”, destacou a pesquisadora.

Taís vem atuando em estudos voltados para a malária há quase 15 anos. Desde que entrou para a Fiocruz, em 2004, ainda como estudante de iniciação científica, a pesquisadora vem desenvolvendo trabalhos em busca de respostas que possam contribuir para o combate à doença. Durante o doutorado, concluído em 2009, se dedicou a investigações visando entender aspectos moleculares da interação entre parasito e hospedeiro, e, no pós-doutorado, se envolveu em estudos nas áreas de genética de populações e biologia molecular em malária.

Há quatro anos, após ser aprovada em concurso público, Taís passou a fazer parte do quadro de servidores da Fiocruz e, desde então, vem coordenando quatro linhas de pesquisa: estudo da variabilidade genética de enzimas metabolizadoras de drogas que pode estar relacionada à falha no tratamento; identificação de marcadores moleculares relacionados à resistência dos parasitos aos antimaláricos; estudo de fatores genéticos humanos que influenciam na suscetibilidade à malária; desenvolvimento de um novo método de diagnóstico molecular da malária mais sensível e menos invasivo. A pesquisadora também atua na área de ensino da instituição, orientando estudantes de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde.

Sobre a premiação
A Medalha Ruth Nussenzweig é concedida a pesquisadores que tenham até 10 anos de conclusão de doutorado e venham desenvolvendo trabalhos com impacto para as pesquisas em malária.

Para participar, o candidato envia um minimemorial em que descreve seu histórico e aponta as contribuições, enfatizando os estudos atuais. Uma comissão constituída por pesquisadores de renome na área seleciona até quatro candidatos, que fazem uma apresentação oral durante a Reunião Nacional de Pesquisa em Malária, quando é definido o vencedor.

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar