Início do conteúdo

Pesquisa busca detecção precoce de Covid-19 em comunidade no Rio


11/01/2021

Fonte: Ensp/Fiocruz

Compartilhar:

A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) inicia nesta segunda-feira, dia 11 de janeiro, no território da Clínica da Família Anthidio Dias da Silveira, no Jacarezinho, a pesquisa Vigilância ativa (VA) na pandemia de SARS-CoV2: papel do contato remoto (CR) na identificação precoce de casos e na prevenção e cuidados durante a crise (VigiAtiva Sars-Cov-2). O objetivo é monitorar a saúde das pessoas no contexto da pandemia causada pelo novo coronavírus identificando os casos de forma precoce, principalmente em indivíduos que tenham algum risco de desenvolver doenças mais graves, como idosos e pessoas com hipertensão ou diabetes. 

Além da detecção precoce, da possibilidade de encaminhamento adequado dos casos de Covid-19 e da implementação de medidas de isolamento dos casos e seus contatos próximos, o estudo também busca entender as condições locais para a implementação segura das medidas conhecidas de controle. 

“Os resultados deste estudo poderão gerar um benefício pessoal para os participantes, uma vez que poderemos identificar no início dos sintomas uma possível doença por Covid-19 e fazer os encaminhamentos necessários para um melhor cuidado. Na pesquisa, realizaremos apenas os contatos remotos por telefone e faremos algumas perguntas sobre cada contato”, detalhou o pesquisador da ENSP/Fiocruz e coordenador do VigiAtiva Sars-Cov-2, André Périssé.
Vigilância ativa da Covid-19

O questionário

Para participar, o voluntário deverá responder a um pequeno questionário, de aproximadamente 15 minutos, e, em seguida, responder a um outro questionário menor durante outros contatos telefônicos no seguimento. O planejamento da pesquisa realizará pelo menos um contato semanal com participante, caso o mesmo faça parte do grupo de risco para desenvolver Covid-19 grave, ou contatos menos frequentes, em caso contrário. Os contatos semanais serão realizados por um período de seis meses. A equipe fará contatos telefônicos entre 8-20h todos os dias da semana (8-12h aos sábados). Confira a seção do projeto no Informe ENSP.
 

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar