Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Método promissor na Fiocruz Bahia auxilia detecção de Chagas em bancos de sangue


12/05/2022

Fiocruz Bahia

Compartilhar:

A doença de Chagas está entre uma das principais causas de impossibilidade de doação de sangue. Antes de ser armazenado nos bancos, o sangue doado passa por uma série de exames. Para essa avaliação são utilizados métodos como o ensaio imunoenzimático (Elisa) ou ensaio por quimiluminescência. Procurando auxiliar na identificação da enfermidade em bancos de sangue, um grupo de pesquisa, liderado pelo pesquisador Fred Luciano, da Fiocruz Bahia, analisou amostras de sangue de doadores voluntários, utilizando o método de identificação do Trypanosoma cruzi através de quatro tipos de proteínas quiméricas: IBMP-8.1, IBMP-8.2, IBMP-8.3 e IBMP-8.4.

Essas proteínas já foram avaliadas em estudos de fase I e II com alto desempenho e baixos índices de reatividade cruzada, apresentando resultados promissores tanto no diagnóstico quanto na triagem sorológica de Chagas. Para referência, foi usada a análise de classe latente (LCA). Neste estudo, foram utilizadas 5.014 amostras de sangue coletadas na Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado da Bahia (Hemoba), entre dezembro de 2018 e agosto de 2019. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Frontiers in Medicine

Por se tratar de um estudo prospectivo (fase III), os resultados dos exames de triagem realizados pelo Hemoba para doença de Chagas, sífilis, HIV-1/2, HTLV-1/2, hepatite B (HBV) e hepatite C (HCV), assim como a idade, sexo e local de residência dos doadores de sangue, foram mantidos em sigilo até a finalização do trabalho. O tamanho da amostra foi calculado com sensibilidade e especificidade esperadas de 99%, erro absoluto de 2%, intervalo de confiança de 95% e prevalência de Doença de Chagas crônica de 2% na população brasileira.

Resultados

A LCA classificou 4.993 (99,6%) amostras como negativas para T. cruzi e 21 (0,42%) com resultado positivo. Já utilizando as proteínas quiméricas, os valores de sensibilidade variaram de 85,71% para IBMP-8.1 e 90,48% para IBMP-8.2–95,24% para IBMP-8.3 e 100% para IBMP-8.4, enquanto a especificidade variou de 99,98% para IBMP-8.3 e IBMP-8.4–100% para IBMP-8.1 e IBMP-8.2. A precisão os valores variaram de 99,4 a 99,98%.

A IBMP-8.4 se mostrou um antígeno único e seguro para triagem sorológica de doença de Chagas em amostras de sangue. O uso de antígenos IBMP quiméricos têm alto desempenho diagnóstico e se mostraram adequadas para uso na triagem de da doença em bancos de sangue, utilizando isoladamente a IBMP-8.4 ou em combinação com outras. Esta técnica pode reduzir significativamente o descarte desnecessário de bolsas de sangue ou o risco de transmissão do T. cruzi.

Voltar ao topoVoltar