Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

InfoGripe indica aumento de SRAG na população adulta no AM


04/11/2022

Lidiane Nóbrega (Agência Fiocruz de Notícias)

Compartilhar:

Divulgado nesta sexta-feira (4/11), o novo Boletim InfoGripe Fiocruz aponta para o aumento de casos semanais associados ao Vírus Sincicial Respiratório (VSR) em crianças de 0 a 4 anos. A análise destaca ainda que, no estado do Amazonas, observou-se um ligeiro aumento na presença de casos positivos para Covid-19.

"Esse dado do Amazonas pode estar associado ao crescimento nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave [SRAG] na população adulta", explica o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe. Referente à Semana Epidemiológica (SE) 43, período de 23 a 29 de outubro, o Boletim tem como base os dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até o dia 31 de outubro.

O estado de São Paulo segue apresentando números significativos de casos positivos para influenza A nas últimas semanas. “A presença de casos de gripe em São Paulo ainda é relevante, embora não esteja traduzindo em aumento no total de casos de SRAG na maioria das faixas etárias da população adulta, especialmente nos grupos acima de 50 anos”, destaca Gomes. No Distrito Federal e no Mato Grosso do Sul, que apresentaram aumento recente nos casos associados a esse vírus, há indícios de que já possa estar iniciando processo de queda, embora os dados laboratoriais ainda sejam preliminares.

O VSR prevaleceu entre os casos como resultado positivo nas últimas quatro semanas epidemiológicas e o estudo continua apontando para queda no predomínio do vírus Sars-CoV-2 (Covid-19). Nesse período, a prevalência entre os casos como resultado positivo para vírus respiratórios foi de 19,9% para influenza A; 0,6% para influenza B; 26,4% para VSR; e 26,0% para Sars-CoV-2 (Covid-19). Entre os óbitos, a presença destes mesmos vírus entre os positivos foi de 17,6% para influenza A; 0,0% para influenza B; 2,0% para VSR; e 68,6% para Sars-CoV-2.

O Boletim indica estabilidade nas tendências de longo (últimas seis semanas) e curto prazo (últimas três semanas), embora mantenha sinal de crescimento na faixa etária de 0 a 4 anos. No cenário nacional, observa-se queda ou estabilidade em praticamente todas as faixas etárias da população adulta.

 

Estados

Dez das 27 unidades federativas apresentam crescimento moderado na tendência de longo prazo até a SE 43: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco e São Paulo. Na maioria desses estados, o aumento se concentra fundamentalmente entre crianças e adolescentes. 

Nos estados do Alagoas, Amazonas e Pernambuco, no entanto, observa-se crescimento também na população adulta e nas faixas etárias acima dos 60 anos. Em Alagoas e Pernambuco, os dados laboratoriais ainda não permitem inferir se há predomínio de um vírus específico. 

Capitais

Doze das 27 capitais apresentam crescimento moderado na tendência de longo prazo até o mesmo período: Aracaju (SE), Belém (PA), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Maceió (AL), Manaus (AM), Recife (PE), Rio Branco (AC), Salvador (BA), São Paulo (SP) e Vitória (ES). Nas demais, há queda ou estabilidade na tendência de longo prazo e estabilidade nas semanas recentes (curto prazo). 

Na maioria das capitais que apresentam crescimento, ele é concentrado predominantemente em crianças. As exceções são Manaus e Recife, que mostram crescimento nas faixas etárias acima de 60 anos. O coordenador do InfoGripe sinaliza que tem-se observado um atraso importante nas inserções de casos da capital do Pernambuco no banco de dados, o que impacta a qualidade das estimativas de casos recentes. No caso de Manaus, é possível que o crescimento recente esteja associado ao ligeiro aumento nos casos positivos para Covid-19.

Voltar ao topoVoltar