Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

Início do conteúdo

Fiocruz recebe comitiva francesa com foco na expansão da cooperação internacional

Participantes do encontro lado a lado, de pé, dentro de uma sala

16/08/2022

Isabela Schincariol (Campus Virtual Fiocruz)*

Compartilhar:

Buscando estabelecer novas parcerias e cooperações na área da educação, a Fundação Oswaldo Cruz recebeu uma comitiva da Univesité de Lille, França, para a aproximação entre as instituições. A delegação francesa foi recebida pela Coordenadora-Geral de Educação, Cristina Guilam, e assessores internacionais da Fundação. Para muito além da visita ao conjunto arquitetônico do campus Manguinhos, no Rio de Janeiro, o grupo debateu possibilidades de cooperação e traçou uma agenda conjunta de workshops e outros encontros científicos com a participação de ambas as instituições. 

O Embaixador da Universidade de Lille e assessor do presidente da instituição francesa, Didier Gosset, e o diretor para o Desenvolvimento Internacional, Joseph Armando Soba ressaltaram que a instituição é a maior do país em termos de números de estudantes, destacando ainda que neste ano de 2022 a universidade recebeu o certificado de Université d’Excellence, o que lhe conferiu um aporte de recursos a mais para impulsionar suas atividades e alavancar ações internacionais. Entre outros dados, Gosset, apresentou os principais hubs de pesquisa e destacou a existência de um instituto interdisciplinar voltado à pesquisa em câncer, a ONCOLille. 

Pela Fiocruz, o coordenador-Adjunto de Educação Internacional, ligado à Coordenação-Geral de Educação (CGE/VPEIC), Vinicius Cotta, apresentou a área de educação da instituição, frisando que a Fundação está presente em quase todos os Estados brasileiros, o que confere diversidade às pesquisas realizadas, pois considera problemas e questões regionais e os territórios nos quais está localizada. Do mesmo modo, Cotta salientou a multiplicidade da natureza dos cursos e programas de pós-graduação oferecidos pela Fiocruz, não somente sobre a temática, mas também pelos níveis de formação e meio de oferta. 

Cristina Guilam falou a respeito da importância da cooperação Sul-Sul e, mais especificamente, da cooperação com Moçambique, com o qual há uma cooperação direta financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Programa de Cooperação Estratégica com o Sul Global (Projeto Coopbrass) - Edital n°05/2019 da Capes – Rede de Pesquisa e Formação em Saúde: Cooperação Sul-Sul entre a Fiocruz e Instituições Moçambicanas. Quanto à internacionalização na área de educação, Cotta lembrou também do Programa Capes de Internacionalização (Capes PrInt), que financia principalmente bolsas de mobilidade internacional. Ele apresentou números da cooperação em pesquisas com a França, a partir de dados extraídos do Observatório Fiocruz. 

De maneira conjunta, os participantes levantaram possibilidades de cooperação, como por exemplo, a realização de um projeto triangular com a Universidade do Chile, e delinearam uma agenda com workshops e outros eventos científicos em parceria para a divulgação de novas ações entre seus pesquisadores.

A cooperação da Fiocruz com a França

Vale ressaltar que a França é um dos principais países parceiros da Fiocruz, dado que a cooperação com os franceses remonta ao período em que Oswaldo Cruz realizou pesquisas no Instituto Pasteur, no final do século XIX, e se inspirou nessa instituição para dar início à construção da Fundação Oswaldo Cruz, na época chamada de Instituto Soroterápico Federal. 

A visita ao conjunto arquitetônico do entorno da Praça Pasteur, campus Manguinhos da Fiocruz, no Rio de Janeiro, foi acompanhada pelos guias do Museu da Vida - um espaço de integração entre ciência, cultura e sociedade da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) -, que deram explicações sobre o Castelo Mourisco e a Cavalariça, situando a importância secular da parceria da Fiocruz com a França. A reunião ocorreu em 8 de agosto, no Centro de Relações Internacionais da Fiocruz (Cris) e também contou com a participação da assessora de Educação Internacional, Analice Braga, e de Ana Helena Gigliotti e Ilka Villardo, ambas assessoras do Cris.

*com informações de Analice Braga

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar