Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Fiocruz, Queen Mary e FGV lançam programa de colaboração


11/12/2019

Cristiane Boar e Kath Lousada | VPPCB

Compartilhar:

Depois do encontro entre as três instituições, financiamento em parceria internacional será de 120 mil libras em projetos de pesquisa

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Queen Mary Universidade de Londres (QMUL) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) promoveram no Pavilhão Arthur Neiva, nos dias 27 e 28 de novembro, workshops com pesquisadores das três instituições para realizar uma parceria que criou o 'Brazil Accelerator Fund', com o financiamento inicial de 120 mil libras (cerca de R$ 660 mil) para o desenvolvimento de colaborações de pesquisa que visam apoiar projetos para gerar impacto no Brasil.

A iniciativa que contou com a participação de representantes de outras universidades brasileiras, como a Universidade de São Paulo (USP) e as universidades federais de Minas Gerais e do Rio de Janeiro (UFMG e UFRJ), foi coordenada na Fiocruz pela Vice-Presidência de Pesquisa e Coleções Biológicas (VPPCB) e representada por várias unidades da Fundação em áreas de pesquisa com os seguintes temas:

- Saúde mental;
- Violência baseada em gênero;
-  Doenças Infecciosas (hepatite C, tuberculose, doença de chagas, doenças tropicais);
- Urbanização e mobilidade;
- Big Data/ Epigenética;
- Saúde materno-infantil/ nutrição de crianças e adolescentes
- Saneamento

Para o vice-diretor internacional da Queen Mary, a participação dos pesquisadores ingleses é o início de um grupo de trabalho que pode ser ampliado. “Estamos aqui com representantes da Faculdade de Medicina e Odontologia da QMUL e acadêmicos da Faculdade de Humanidades e Ciências Sociais e essa parceria com a Fiocruz e a FGV pode ser uma excelente oportunidade para criar projetos com grande impacto para a saúde pública”.

Após os dois dias de atividades nos grupos de trabalho, as instituições anunciam a chamada para apoio de projetos em colaboração. As inscrições estão abertas para as três instituições, até o dia 31 de janeiro. Cada projeto de pesquisa poderá solicitar financiamento entre 5 mil e 20 mil libras (cerca de R$ 30 mil a R$ 110 mil), em atividades com a QMUL, mas preferencialmente com a participação das três instituições como explica o vice-presidente de Pesquisa e Coleções Biológicas Rodrigo Correa “Os projetos podem ser oficinas, publicações, experimentação/coleta de dados, capacitação, resumos, entre outros. A importância de ter as três organizações trabalhando juntas com pesquisa é fortalecer a parceria internacional e compartilhar conhecimento.”
Para submissão de propostas, a coordenação do projeto de pesquisa precisa ser de uma das instituições responsáveis (Fiocruz, QMUL ou FGV).

Os selecionados receberão o aporte da organização de origem, compondo o valor total pleiteado no projeto submetido. 

Para acessar o formulário de inscrição e o edital, em inglês, clique aqui. 

O resultado da seleção de projetos contemplados será divulgado em fevereiro de 2020.

Voltar ao topoVoltar