Início do conteúdo

Fiocruz celebra Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência


05/02/2021

Valentina Leite (Vpeic/Fiocruz) e Simone Kabarite

Compartilhar:

Para comemorar o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência (11/2), data instituída em 2015 pela Organização das Nações Unidas, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) preparou uma programação on-line nos dias 10, 11 e 12 de fevereiro de 2021. A transmissão será feita ao público através do canal da Fiocruz no YouTube. Apenas no primeiro dia não haverá transmissão aberta. As atividades contarão com tradução para libras, em acordo com o compromisso da Fundação de ampliar a acessibilidade na informação e comunicação.

O primeiro dia, 10 de fevereiro, será dedicado exclusivamente às unidades regionais da Fiocruz que foram selecionadas no edital Mais Meninas na Ciência em 2020. Além disso, também reunirá as estudantes que se inscreveram na seleção para visita à Fiocruz no Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência do ano passado. 

A programação aberta ao público tem início no dia 11 de fevereiro, às 10h. Na ocasião, será lançado o vídeo do Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência na Fiocruz.

A coordenadora de Divulgação Científica/Vpeic e do Projeto Mulheres e Meninas na Ciência na Fiocruz, Cristina Araripe, ressalta que o acesso e as oportunidades no mundo científico, acadêmico e profissional, sem qualquer distinção, como prevê inúmeros acordos internacionais e legislações, ainda não estão dados. "Nós, mulheres, pesquisadoras, jovens estudantes, sabemos que existem dificuldades, por vezes, intransponíveis para termos direito à igualdade de gênero".

Para ela, a realização de atividades educativas de inserção das meninas e de valorização das mulheres cientistas são estratégias centrais para promover a igualdade de gênero, ampliando as possibilidades de escolha e de atuação das mulheres em todas as áreas de conhecimento."A celebração do dia 11 de fevereiro, marca fortemente, na minha perspectiva de pesquisadora da Fiocruz do século XXI, a vontade e o empenho que temos, repito, nós mulheres que trabalhamos e estudamos na instituição, de vencer o machismo, a misoginia e todas as outras formas de preconceito, explícitos e velados, que tentam aprisionar e impedir as mulheres e as meninas de ocuparem seus lugares no mundo", destaca Cristina.

A vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação (Vpeic/Fiocruz), Cristiani Vieira Machado, afirma que a escassez de oportunidades e os obstáculos para a inclusão das mulheres nas atividades científicas precisam ser tratados pelas instituições de pesquisa. "O Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência e a Agenda 2030 da ONU  são referências a este desafio de enfrentarmos com políticas públicas o que é inaceitável: 30% das meninas mais pobres do mundo nunca foram à escola, segundo a Unicef. Na Fiocruz, a realização de atividades educativas de inserção das meninas e de valorização das mulheres cientistas são estratégias centrais para promover a igualdade de gênero, ampliando as possibilidades de escolha e de atuação das mulheres em todas as áreas de conhecimento", completa.

Programação

A primeira mesa virtual é composta pela presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima; a vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz, Cristiani Vieira Machado; a presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Fiocruz (Asfoc-SN), Mychelle Alves; a representante da coordenação colegiada do Comitê Pro-equidade de Gênero e Raça da Fiocruz, Marina Maria; a Associação de Pós-graduandos da Fiocruz, representada por Elizabeth Leite; e a coordenadora de Divulgação Científica/Vpeic e do Projeto Mulheres e Meninas na Ciência na Fiocruz, Cristina Araripe. 

Em seguida, ainda na manhã do dia 11, a Casa de Oswaldo Cruz (COC) apresenta um vídeo da série Mulheres na Fiocruz: Pioneiras. No lançamento, estarão presentes a documentarista Cristiana Grumbach e as pesquisadoras Nara Azevedo e Daiane Rossi, ambas da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz). As homenageadas desse episódio da série são as pioneiras Anna Kohn, Monica Barth e Luiza Cristina Krau (In memoriam).

Na parte da tarde, às 14h, uma mesa virtual reúne cientistas para falar sobre Mulheres no enfrentamento da Covid-19 na Fiocruz. A atividade conta com a presença de: Fabiana Damásio (Fiocruz Brasília), Margareth Dalcomo (Escola Nacional de Saúde Pública), Margareth Portela (Escola Nacional de Saúde Pública), Marilda Siqueira (Instituto Oswaldo Cruz), Rosane Cuber Guimarães (Bio-Manguinhos) e Valdiléa Veloso (Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas). A anfitriã é a vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação (Vpeic/Fiocruz), Cristiani Vieira Machado.

Para finalizar o dia 11, às 16h, o projeto Meninas Negras na Ciência apresenta a live O que você quer ser quando crescer?, ministrada por Hilda Gomes e Aline Pessoa (Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz). Diferente do resto da programação, a live será transmitida pelo canal do YouTube do Museu da Vida.

O dia 12 de fevereiro também traz surpresas. Às 10h, a mesa virtual Menina hoje, cientista amanhã: encontro de gerações reúne Beatriz Grinsztejn (Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas), Marilda Gonçalves (Fiocruz Bahia), Zélia Profeta (Fiocruz Minas), Jaqueline Goes (Universidade de São Paulo), Aryella Corrêa (Pibic/Far-Manguinhos) e Amanda da Rocha Paula Reyes (Programa de Vocação Científica no Instituto Oswaldo Cruz). 

Também será lançado o e-book Menina Hoje, Cientista Amanhã, produzido pela Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente da Fiocruz. Os organizadores do material, Cristina Araripe, João Boueri e Valentina Leite, estarão presentes.

Para finalizar a programação, Desigualdades e gênero é o tema da mesa coordenada por Anakeila Stauffer (Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio). As convidadas são Dália Romero (Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde), Isabela Soares Santos (Escola Nacional de Saúde Pública), Martha Moreira (Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira), Paula Bevilacqua (Fiocruz Minas), Roberta Gondin (Escola Nacional de Saúde Pública) e Roseane Corrêa (Escola Nacional de Saúde Pública).

Canal Saúde também contará com uma programação especial para o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência. Acompanhe aqui.

Acesse aqui o convite com os links para o evento.

Voltar ao topoVoltar