Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

22/10/2019

Editora Fiocruz apresenta títulos sobre pesquisas e produção de vacinas no Brasil


Por: Marcella Vieira (Editora Fiocruz)

Ampliar a divulgação da ciência e promover iniciativas de valorização do livro e de acesso ao conhecimento. Com essas premissas, a Editora Fiocruz investe periodicamente em títulos que valorizam um dos temas mais complexos de pesquisas na área de saúde pública do Brasil: as vacinas. Um setor que tem gerado importantes avanços para o país. “A experiência prévia do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) em processos de incorporação tecnológica contribuiu para a formulação de um conceito que se tornaria uma política de Estado: a do Complexo Econômico e Industrial da Saúde”, ressalta, no prefácio do livro Poliomielite no Brasil: do reconhecimento da doença ao fim da transmissão, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima. O livro é a mais recente contribuição da Editora Fiocruz para o campo de estudos sobre vacinas.

Em seu catálogo, a Editora Fiocruz conta com livros que abordam questões ligadas à produção, pesquisas, estudos, projetos e história das vacinas. Entre as obras publicadas nos primeiros anos de existência da Editora, o destaque vai para Vacina antivariólica: ciência, técnica e o poder dos homens, 1808-1920, que completa 20 anos de lançamento em 2019. Escrito pela pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) Tania Maria Dias Fernandes, o livro teve uma segunda edição revista, publicada em 2010.

A obra levanta reflexões de Louis Pasteur sobre a vacina antivariólica, abordando a organização institucional implantada durante o Império com o objetivo de possibilitar a prática da vacinação. Foi nesse contexto que se deram as primeiras experiências com a vacinação animal no Brasil, realizadas na Santa Casa da Misericórdia.

O título aborda ainda a atuação científica do barão de Pedro Affonso, fundador do Instituto Vacínico Municipal, suas relações com as autoridades e os conflitos e polêmicas que travou com a nova geração de higienistas – liderados por Oswaldo Cruz – em torno da centralização dos serviços de saúde. O novo volume trouxe importantes atualizações e acrescentou contribuições mais recentes de estudiosos do assunto, além de diretrizes atualizadas por instituições como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no âmbito das campanhas de erradicação desenvolvidas em diversos países.

Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (USP) e docente do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Fiocruz, Tania Fernandes destaca a importância que o livro teve para as suas pesquisas em torno da vacina. “A publicação do título significou para mim, como autora, o reconhecimento do produto de um trabalho de pesquisa, que mesmo depois de 20 anos, permanece aportando um tema que ainda suscita variadas questões”, enaltece. 

Segundo a professora, o combate à varíola abriu caminho para pesquisas que, até hoje, têm enorme peso para temas de saúde pública. “A vacina antivariólica, tanto diante de sua importância como a primeira vacina internacionalizada desde o século 19, como por ter possibilitado a erradicação da varíola em meados do século 20 e viabilizado ações de controle sobre outras doenças, gerou variadas investigações voltadas para as políticas públicas, a produção de vacinas e a construção de um ideário popular sobre sua aplicação e obrigatoriedade”, afirma. 

Vacinas & soros


Prestes a completar 15 anos de lançamento, Vacinas, soros e imunizações no Brasil foi lançado em 2005 e organizado por três renomados pesquisadores da Fiocruz: Paulo Buss, ex-presidente da Fundação, José Gomes Temporão, ex-ministro da Saúde, e José da Rocha Carvalheiro, pesquisador do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS). Com um perfil aprofundado da produção de vacinas no Brasil, o livro é dividido em seis partes. A magnitude dos problemas das doenças imunopreveníveis no Brasil, política e regulação de vacinas e soros, a experiência das instituições no complexo produtivo da saúde no país e as experiências internacionais são alguns dos estudos apresentados.

O livro traz ainda resultados do projeto Inovação em Saúde, criado pela Fiocruz em 2001 para o desenvolvimento tecnológico e científico do país. Referência nos estudos sobre vacinas e soros para estudantes, docentes e pesquisadores, a obra já está esgotada como livro físico, mas é um dos 180 títulos que a Editora Fiocruz mantém disponíveis – com acesso aberto para download completo – na plataforma SciELO Livros.

Poliomielite no Brasil

Acaba de chegar ao público o livro Poliomielite no Brasil: do reconhecimento da doença ao fim da transmissão, organizado pelo especialista em vigilância epidemiológica João Baptista Risi Junior. 

Uma doença conhecida no Brasil desde o início do século 20, mas que só chamou a atenção da opinião pública nos anos 1950, a poliomielite passou a ser plenamente combatida no âmbito da saúde pública a partir da criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Por meio de intervenções e iniciativas de controle e erradicação, as estratégias e campanhas de vacinação têm destaque no livro. A mobilização científica mundial e o engajamento institucional de Bio-Manguinhos na produção da vacina antipoliomielite também são questões ressaltadas ao longo dos nove capítulos da obra.

Voltar ao topoVoltar