Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Dez minutos contra o Aedes: projeto da Fiocruz inspira herói de campanha

Desenho de menino com capa que diz: "Oi galera, eu sou o Dezinho. Aqui, eu e minha família vamos te dar umas dicas de como combater o mosquito aedes... Nessa conversa, todo mundo pode ser herói"

22/02/2017

Compartilhar:

Por: Maíra Menezes (IOC/Fiocruz)*

Pelo sétimo ano seguido, a campanha de combate ao Aedes aegypti lançada neste verão pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES/RJ) é inspirada nos conceitos do projeto 10 minutos contra o Aedes, desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). Desta vez, a ação apresenta o herói mirim Dezinho, um menino carioca que busca ensinar a todos que bastam dez minutos por semana para eliminar os possíveis focos do mosquito em casa. Desenhado pelo ilustrador e designer Luciano Freitas, da Secretaria estadual de Saúde fluminense, o personagem protagoniza diversos materiais de campanha, como panfletos, tirinhas em quadrinhos e um jogo dos dez erros. Segundo a pasta, o herói pode ser utilizado por prefeituras e outros órgãos em suas ações de mobilização contra o mosquito. O material da campanha está disponível para download com licença Creative Commons, sem limitações de direitos autorais.

Lançado em 2011, o projeto idealizado por pesquisadores e profissionais de Comunicação do IOC é baseado em uma ideia simples: basta utilizar 10 minutos por semana para a realização de uma vistoria para evitar a proliferação do A. aegypti no ambiente doméstico. A intervenção periódica é suficiente para interromper o ciclo de vida do mosquito, que leva de 7 a 10 dias para se desenvolver do ovo até a forma adulta. Para orientar a população, um guia de checagem que destaca alguns dos criadouros mais comuns nas residências foi elaborado pelos especialistas, incluindo itens como caixa d’água, calha e bandeja de ar condicionado. O material aponta as principais medidas para eliminar esses possíveis focos e contém uma tabela para auxiliar na checagem semanal. Disponível para download gratuito, o folder pode ser utilizado por todos os interessados.

Desenvolvido inicialmente com o nome de 10 minutos contra a dengue, o projeto foi rebatizado depois que o A. aegypti passou a transmitir também os vírus da Zika e da chikungunya no Brasil, passando a se chamar 10 Minutos Contra o Aedes. Através de parcerias, o projeto já inspirou o lançamento de campanhas da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) e da Secretaria de Estado da Saúde de Roraima (SESAU/RR), além das ações no Rio de Janeiro.

*Edição: Vinícius Ferreira

Mais em outros sítios da Fiocruz

Mais na web

Voltar ao topoVoltar