Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

14/05/2018

"Combate às desigualdades sociais é indispensável para Agenda 2030", diz presidente da Fiocruz


André Costa (CCS)

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, participou no dia 20/04 do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável, em Santiago, no Chile. Organizado pela Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) e pelo governo do México, o encontro reuniu representantes de 28 países da América Latina e do Caribe, incluindo 35 organizações não governamentais, organismos especializados intergovernamentais e agências do sistema das Nações Unidas, além de mais de 300 participantes do setor privado, da academia e da sociedade civil.

Em sua fala, a presidente afirmou que “o combate às desigualdades sociais, tanto internas aos países quanto entre diferentes Estados, é indispensável para o cumprimento da Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável”. Segundo Lima, a concentração da maioria das patentes no campo da biotecnologia em 15 empresas é expressão importante dessa desigualdade e deve ser repensada.

Lima participou da mesa Desafios sociais na implementação da Agenda 2030, ao lado da ministra do desenvolvimento social do Uruguai, Marina Arismendi; da diretora executiva da Agência de Cooperação de Medelín, Catalina Restrepo; e do secretário de política econômica e de desenvolvimento sustentável da Conferência Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras das Américas, Rafael Freire Neto.

Sua fala reforçou o tema dos determinantes sociais da saúde, uma compreensão que, em suas palavras, a entende como "intimamente ligada às dinâmicas econômicas sociais e locais”. Segundo Lima, é necessário pensar a saúde como “fator indispensável e estruturante ao desenvolvimento sustentável e à qualidade de vida. Não se pode jamais entender a saúde como uma política setorial. Ela é um eixo indispensável ao desenvolvimento, atravessando diversas áreas e tendo caráter multissetorial”.

Lima participou da mesa 'Desafios sociais na implementação da Agenda 2030' (foto: Carlos Vera, Cepal)
 

Lima citou o livro Desenvolvimento e subdesenvolvimento, do economista Celso Furtado, de 1961, ao afirmar que “o que caracteriza o desenvolvimento é o projeto social subjacente. O crescimento econômico, tal qual o conhecemos, funda-se na preservação dos privilégios das elites que satisfazem seu afã de modernização. Quando o projeto social dá prioridade à efetiva melhora das condições de vida da maioria da população, o crescimento se metamorfoseia em desenvolvimento. Ora, essa metamorfose não se dá espontaneamente. Ela é fruto da realização de um projeto, expressão de uma vontade política".

A presidente da Fiocruz ressaltou também que o Brasil contribuiu fortemente para melhorar a visão sobre o desenvolvimento sustentável e o desenho da Agenda 2030 e dos ODSs, tendo sido determinando para a extensão dos temas sociais no documento, da incorporação do tema.

Na véspera à fala, Lima e a secretária executiva da Cepal, Alicia Bárcena, assinaram um acordo de cooperação internacional voltado ao cumprimento da Agenda 2030.
 

Voltar ao topoVoltar