Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

18/06/2019

HIV/Aids: Fiocruz recebe o prêmio 'Community Engagement Award'

Equipe do laboratório recebendo o prêmio

Por: Juana Portugal e Luciana Kamel (INI/Fiocruz)

No último dia 5 de junho, a equipe do Laboratório de Pesquisa Clínica em DST e Aids (LapClin-Aids), do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz) recebeu o prêmio 2018 Community Engagement Award como reconhecimento da excelência internacional de suas atividades de promoção a saúde e cidadania junto aos grupos vulneráveis à infecção pelo HIV. “A participação da comunidade nas pesquisas é fundamental pois é para a sociedade que fazemos pesquisa. Por isso, envolver a população em todas as etapas dos estudos contribui para que os resultados sejam mais apropriados para a comunidade que vai se beneficiar deles”, destaca Beatriz Grinsztejn, chefe do Laboratório de Pesquisa Clínica em DST e Aids, do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz). A solenidade de entrega aconteceu durante o encerramento da Reunião Anual da Rede de Estudos de Prevenção do HIV (HIV Prevention Trials Network - HPTN) em Washington DC, nos Estados Unidos

“É o reconhecimento de um trabalho feito com muito esforço e carinho. Para mim, como mulher trans, e para toda a equipe, foi muito importante. O prêmio é para todas pessoas que participam dos eventos e eu gostaria de dividir este momento, especialmente, com a comunidade trans e travesti”, enfatizou Laylla Monteiro, da equipe de Educação Comunitária.

Integrando a rede HPTN desde 1999, o LapClin AIDS conduz estudos e atividades pioneiras de inclusão voltadas para populações vulneráveis, especialmente Trans e jovens gays moradores de comunidades periféricas.

Equipe diversa e multidisciplinar

“Nossa equipe de educadores de pares, composta de mulheres transexuais e travestis e jovens gays de periferia, trabalha em conjunto com os demais profissionais do laboratório, planejam as atividades enfatizando a vinculação, o acolhimento e a retenção das participantes dos projetos e a criação de ambientes amigáveis, não-discriminatórios”, Luciana Kamel, psicóloga que integra a equipe. “No acompanhamento comunitário das pesquisas clínicas, temos um Comitê Comunitário Assessor (CCA) com uma representação diversificada entre os membros. Além das reuniões com o CCA, organizamos encontros com a comunidade para apresentar novos estudos e, quando um projeto é finalizado, promovemos apresentações com os resultados”, conlui.

“O nosso trabalho com os voluntários dos estudos vai além da orientação, oferecemos acolhimento. Somos a parte humana de um trabalho muito técnico”, explica Josias Freitas. “O Laboratório disponibiliza um telefone para ligação gratuita. Através dele a pessoa interessada recebe informações e pode agendar a visita para o primeiro atendimento. Ao chegar é direcionado para a equipe de educação comunitária onde é recebido e encaminhado para entrevista com a equipe de psicólogos”.

Fortalecimento dos laços com a comunidade

Os eventos organizados pelo LapClin Aids são espaços abertos que fortalecem o compromisso do INI com a comunidade, pois a interação contribui para a identificação de necessidades que orientam a proposta de estudos adequados a essas demandas. O plano de trabalho da equipe envolve uma agenda anual com oficinas de saúde integral, customização de roupas, arte, maquiagem, aulas de teatro e dança, exibição de filmes e rodas de conversa.

Atividades em locais de sociabilização LGBTI acontecem e incluem visitas semanais a lojas gays de videoturismo, cinemas, saunas, boates e pontos de encontro LGBTI para realizar ações de prevenção, com distribuição de preservativos e lubrificantes. Em parceria com duas ONGS locais (GPV-RJ e Arco Iris) e o Programa de Aids da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, também são oferecidos serviços de testagem de HIV e aconselhamento com o intuito de alcançar a população em situação de maior vulnerabilidade. De forma complementar, também são realizadas atividades de divulgação de estudos, sensibilização e recrutamento nas redes sociais.

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, através do Programa Justiça Itinerante, também é parceiro e garante que pessoas trans ou da comunidade em situação de vulnerabilidade conheçam seus direitos e possam ter acesso à justiça gratuita. Segundo os educadores, o intuito de todas as ações é contribuir para oferecer um ambiente mais acolhedor para as populações mais diversas.

Rede de Estudos em Prevenção do HIV (HPTN)

A Rede de Estudos em Prevenção do HIV (The HIV Prevention Trials Network – HTPN), é uma organização colaborativa mundial que realiza estudos clínicos da segurança e eficácia de estratégias de prevenção do HIV financiada pelos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) dos Estados Unidos.

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar