Fiocruz

Fundação Oswaldo Cruz uma instituição a serviço da vida

  • Diminuir tamanho do texto
  • Tamanho original do texto
  • Aumentar tamanho do texto
  • Ativar auto contraste
Selecione uma tarefa

Início do conteúdo

13/02/2017

ENSP e Uruguai debatem atenção primária em saúde

Da assessoria da Escola Nacional de Saúde Pública

Com o objetivo de fortalecer as capacidades formativas em saúde nas áreas de fronteiras entre Brasil e Uruguai, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca sediou no fim de dezembro uma oficina de trabalho em atenção primária em saúde, cujo objetivo foi debater o programa de formação direcionado a gestores de saúde municipais localizados nas zonas fronteiriças dos dois países em questão. O encontro ocorreu no âmbito do acordo de cooperação internacional entre o Ministério da Saúde Pública do Uruguai e o Ministério da Saúde do Brasil, com intermédio e coordenação do coordenador de América Latina do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz (Cris/Fiocruz), Álvaro Matida.

A iniciativa visa intensificar as capacidades formativas na perspectiva da educação permanente em saúde, com vistas a melhorar a gestão, as práticas de saúde e qualidade assistencial no nível local. Durante o encontro, foi realizada a apresentação dos sistemas de saúde brasileiro e uruguaio. Como resultado, elaborado um programa inicial para a formação em saúde na região de fronteira Brasil-Uruguai, constituído em quatro grandes áreas: Atenção Integral à Saúde nos Sistemas de Saúde Brasileiro e Uruguaio; Gestão da Atenção Integral à Saúde; Vigilância em Saúde; e Educação e Promoção da Saúde.  

Do Uruguai, estivem presentes profissionais do Ministerio de Salud Pública (MSP), daAdministración de los Servicios de Salud del Estado (Asse)e daUniversidad de la República del Uruguay (Udelar). Da ENSP, participaram integrantes da Assessoria de Cooperação Internacional (ACI), da Coordenação de Desenvolvimento Educacional e Educação a Distância (Cdead), do Departamento de Administração e Planejamento em Saúde (Daps), do Departamento de Endemias Samuel Pessoa (Densp) e do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh). A reunião contou ainda com profissionais da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde (Aisa) do Ministério da Saúde do Brasil, do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz (Cris) e da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec). 

 

Voltar ao topoVoltar