Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Fiocruz

Fundación Oswaldo Cruz una institución al servicio de la vida

Início do conteúdo

Obra da Editora Fiocruz propõe novos debates sobre a articulação entre gênero e saúde

LIVRO | Gênero e Saúde: uma articulação necessária

15/08/2022

Editora Fiocruz

Compartilhar:

A necessidade de debates qualificados sobre as articulações entre gênero e saúde se impõe como tarefa cada vez mais urgente diante das muitas desigualdades sociais em saúde que se evidenciaram no contexto da pandemia de Covid-19. Em meio a esse desafio, a Editora Fiocruz lança Gênero e Saúde: uma articulação necessária, novo título da coleção Temas em Saúde. A obra estará disponível para aquisição a partir de 17 de agosto, nos formatos impresso – via Livraria Virtual da Editora – e digital, por meio da plataforma SciELO Livros

Escrito por Elaine Reis Brandão e Fernanda de Carvalho Vecchi Alzuguir, ambas do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Iesc/UFRJ), o livro reúne reflexões acumuladas pelas autoras em suas experiências de ensino, pesquisa e extensão sobre a temática de gênero, na área da saúde coletiva. "Nós apresentamos a problemática de gênero como modo de organização da vida social e enfocamos seu impacto sobre os processos de saúde e doença em diversos grupos sociais", resume Fernanda Vecchi.   

Para abordar o tema, as professoras citam implicações do gênero na saúde que a pandemia tornou ainda mais explícitas. Uma das principais é a sobrecarga feminina sem precedentes em relação à questão do cuidado, gerando esgotamento físico, mental, abandono de postos de trabalho, desemprego e adoecimento. Dessa forma, o volume se propõe a dialogar com pesquisadores, estudantes, profissionais de saúde, gestores públicos, ativistas de movimentos sociais organizados e com o público em geral interessado no debate sobre gênero e saúde. 

Em cinco capítulos, a obra se desenvolve apresentando "os íntimos entrelaçamentos entre os estudos históricos, sociológicos e antropológicos sobre gênero, os estudos sociais da ciência e tecnologia e o campo da saúde, que foram se consolidando ao longo da segunda metade do século XX até o presente", conforme afirmam as autoras.

Elas iniciam o livro fazendo um breve panorama conceitual e histórico sobre a emergência da categoria de gênero em meados do século 20, fruto do diálogo entre o movimento feminista e suas teóricas - pesquisadoras das ciências sociais e humanas -, entendendo gênero como uma importante ferramenta de análise e de compreensão da dinâmica da produção das desigualdades sociais em saúde. Em seguida, no capítulo dois, são abordadas as questões de fabricação da diferença sexual, no contexto da modernidade, em estreito diálogo com o debate em torno da medicalização dos corpos femininos e masculinos.

Por uma ética ampliada do cuidado e da diversidade de gênero
No terceiro capítulo são ampliados os debates sobre implicações do gênero na produção do conhecimento científico, a partir das contribuições sobre os estudos feministas da ciência. O capítulo quatro mostra a centralidade da abordagem interseccional na compreensão dos processos de saúde e doença, mostrando como marcadores sociais de gênero, classe, etnia, geração e raça se articulam mutuamente produzindo hierarquias sociais em saúde. 

Por fim, o último capítulo se debruça em debates contemporâneos sobre direitos sexuais e direitos reprodutivos, discutindo como a consolidação de políticas públicas voltadas para os direitos sociais e reprodutivos podem auxiliar na construção de uma cidadania mais inclusiva e na melhoria das condições de saúde da população. 

Ao buscar formular novas perguntas e provocar inquietações diversas para o público leitor, a obra pretende propor debates qualificados e fundamentais para a saúde coletiva. "Esperamos que o livro instigue e fomente novos conhecimentos e práticas, pautadas em uma ética ampliada do cuidado, da solidariedade e respeito à igualdade e à diversidade de gênero", enfatiza Vecchi. 

Sobre as autoras
A assistente social Elaine Reis Brandão é mestre e doutora em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/Uerj). É professora associada do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Iesc/UFRJ).  

A psicóloga Fernanda de Carvalho Vecchi Alzuguir é mestre e doutora em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/Uerj). É professora adjunta do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Iesc/UFRJ).

Livro integra lista de propostas aprovadas em edital para Temas em Saúde
A obra é a 19ª publicação oriunda de chamada pública da Editora Fiocruz para novos títulos da coleção Temas em Saúde. Em abril de 2019, foram lançados dois editais para encerrar o ciclo de comemorações dos 25 anos da Editora. A chamada para compor a coleção recebeu 122 propostas de publicação e Gênero e Saúde: uma articulação necessária foi uma das aprovadas.

➡️ Clique aqui para mais informações sobre o resultado do edital.

Sobre a coleção 
Temas em Saúde apresenta para estudantes, profissionais e público em geral panoramas sobre conceitos e conteúdos fundamentais das áreas da saúde. Em linguagem acessível, a coleção – que já conta com 45 publicações – combina informação atualizada com reflexões baseadas em recentes produções científicas apresentadas por especialistas sintonizados com o contexto sociopolítico de produção e aplicação do conhecimento em saúde.

➡️ Clique aqui para acessar o catálogo completo da coleção.

Livro | Gênero e Saúde: uma articulação necessária
Editora Fiocruz | Coleção Temas em Saúde
Primeira edição: 2022
139 páginas
Preço de capa (versão impressa): R$ 15,00
Preço e-book (versão digital): R$ 9,00

Volver arribaVolver