Início do conteúdo

24/07/2006

Estudo avalia contato com pacientes de hanseníase


Estudo avalia risco de pessoas que convivem com pacientes de hanseníase contraírem a doença

Um estudo realizado pelo Laboratório de Hanseníase do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), uma unidade da Fiocruz, pode ajudar a delimitar, entre as pessoas que mantêm contato com pacientes de hanseníase, um grupo com maior risco de adoecer. A pesquisa pretende estabelecer o perfil de um possível grupo de risco entre os contatos dos pacientes de hanseníase e também verificar se a segunda dose da vacina BCG, indicada desde 1991 pelo Ministério da Saúde como medida preventiva a quem convive com hansenianos, é realmente eficaz.

Leia mais na Agência Fiocruz de Notícias.

Voltar ao topoVoltar