Início do conteúdo

Fiocruz Internacional – Edição 03, jan. e fev. de 2017

Caso não esteja visualizando corretamente este e-mail, clique aqui
Boletim Fiocruz Internacional

Boletim mensal do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz (Cris/Fiocruz)

Fevereiro / 2017
Primeira mulher a comandar a Fundação em 116 anos de história, a doutora em sociologia, pesquisadora, professora e gestora Nísia Trindade Lima recebeu o cargo de presidente da Fiocruz em cerimônia realizada em Manguinhos. "Encontrei na Fiocruz uma escola que traz em si a valorização da ciência como parte de um projeto civilizatório. Ampliar as conquistas sociais faz parte do ideário dos que buscam promover a ciência e a saúde como base para a efetivação dos direitos de cidadania. Este é o grande compromisso do meu mandato. Um mandato que, faço questão de dizer, estará a serviço da sociedade brasileira, da participação entre os povos, pela paz, pelos direitos, pela equidade e pela soberania”, disse ela.
Oficina promovida conjuntamente pela Fiocruz e pelo Instituto Mines-Télecom (IMT), da França, apresenta diversas oportunidade de financiamento e pesquisa para pesquisadores brasileiros no país europeu. Encontro teve por objetivo a formação de uma rede de excelência em engenharia e saúde entre o IMT e o Brasil, com participação de mais de 30 pesquisadores. Foram discutidos possíveis desenvolvimentos futuros e objetivos, de modo a facilitar o compartilhamento e a troca de experiência entre os participantes. Prioridades científicas para a rede estiveram em pauta, assim como a identificação de possíveis projetos educacionais entre o IMT e instituições brasileiras.
A pesquisadora Celina Turchi, da Fiocruz Pernambuco, foi eleita uma das dez personalidades do ano na ciência pela revista britânica Nature¸ por seu trabalho para o estabelecimento da relação entre o vírus zika e a microcefalia em bebês.
Um consórcio para o enfrentamento ao zika coordenado pelo Instituto Nacional Francês de Saúde e Pesquisa Médica (Inserm) e participação da Fiocruz fez sua primeira reunião nos dias 4 e 5 de dezembro em São Paulo para coordenar e planejar suas atividades nos próximos três anos.
Pesquisadora da Fiocruz atua para avançar negociações internacionais que envolvem a utilização de recursos naturais para fins de pesquisa e desenvolvimento tecnológico e na área da saúde.
Com o objetivo de fortalecer as capacidades formativas em saúde nas áreas de fronteiras entre Brasil e Uruguai, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca sediou no fim de janeiro uma oficina de trabalho em atenção primária em saúde, cujo objetivo foi debater o programa de formação direcionado a gestores de saúde municipais localizados nas zonas fronteiriças dos dois países em questão. O encontro teve coordenação do Cris/Fiocruz , como parte de acordo de cooperação internacional entre os ministérios da saúde do Uruguai e do Brasil.
Durante dois dias (7 e 8/12), representantes da Fiocruz e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) estiveram reunidos no Rio de Janeiro para discutir um plano de trabalho para os próximos cinco anos. A iniciativa é a materialização do memorando de entendimento assinado entre as duas instituições em julho deste ano e marca um importante passo para a cooperação.
O Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE/Fiocruz) participou, nos dias 12 e 13 de janeiro, do Incobra Strategic Foresight Workshop, em Frankfurt, Alemanha, inaugurando sua inserção em uma rede de instituições brasileiras e internacionais voltadas a estudos de futuro.

Links relacionados:

Boletim Fiocruz International
Informativo mensal do Centro de Relações Internacionais em Saúde, editado pela coordenadoria de Comunicação Social da Fiocruz

Expediente Fiocruz Internacional | cancelar inscrição

 

Voltar ao topoVoltar