Início do conteúdo

08/02/2018

Entrevista: presidente da Abrasco fala sobre o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva

Rosto do Gastão Wagner

Por: Graça Portela (Icict/Fiocruz)

Em entrevista ao site do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), o presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva - Abrasco, Gastão Wagner, falou sobre o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva - Abrascão 2018 - que acontecerá entre os dias 26 e 29 de julho no campus Manguinhos, da Fiocruz.  

Nos vídeos abaixo, Gastão Wagner comenta sobre a importância da realização do Abrascão 2018 na Fiocruz, antecedido pelo pré-congresso na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), o momento político atual, o SUS, as eleições gerais de 2018 no Brasil (para presidente da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distrital), a participação e mobilização social e se emociona ao falar sobre o slogan de sua gestão na Abrasco. A entrevista está dividida em três partes.

Democracia valorizada

Na primeira parte da entrevista, Gastão Wagner fala do que representa a escolha dos locais para o Abrascão 2018 – a Fiocruz e a Uerj – destacando que são espaços importantes que “representam a vontade de mudar o Brasil”. Outro ponto abordado são os grandes temas que nortearão o Congresso da Abrasco e a relevância da comunicação e da informação em saúde como uma das “estratégicas mais fundamentais da poítica e da construção da democracia dos direitos sociais”. Aproveitando, ele também destaca a discussão sobre o que é a produção da verdade. Veja abaixo:
 

Militância em foco

Sistema Único de Saúde, eleições gerais de 2018 e mobilização e participação sociais são os assuntos abordados na segunda parte da entrevista com Gastão Wagner. O presidente da Abrasco afirma que “o Abrascão é um dos espaços coletivos que estimula a militância” – ele está se referindo aos ativismos institucionais, em especial aquele que une os trabalhadores do SUS em articulação com os usuários da saúde.

Outro ponto abordado são as eleições gerais de 2018. Gastão Wagner defende a “autonomia dos movimentos sociais em relação aos partidos políticos”. Para ele, o Abrascão está na luta “na defesa de projetos como o SUS, a cidade para as pessoas, por exemplo”. Ou seja, projetos “a favor da maioria da população para reduzir a desigualdade política, social, econômica, racial, de gênero que temos neste país”.
Ao falar da mobilização e participação sociais, o presidente da Abrasco inclui a discussão sobre a violência, “nas suas várias dimensões”, como ressalta. “Temos uma preocupação geral de trazermos os movimentos sociais e, uma preocupação específica com a cidade do Rio e o estado do Rio de Janeiro”. Assista:

Nós, a esperança

O Abrascão terá como tema "Fortalecer o SUS, os direitos e a democracia", reforçando a sua tradição de defender as conquistas da Saúde Coletiva.  Haverá, na UERJ, um pré-congresso nos dias 24 e 25 de julho, com oficinas, cursos e reuniões.

As inscrições para o Abrascão 2018 ainda estão abertas e é possível também submeter trabalhos para o Congresso, acesse o site da Abrasco para mais informações.

Créditos
Foto: Gastão Wagner: Comunicação Abrasco
Banner: Vera Fernandes (Ascom/Icict/Fiocruz)
Gravação e edição: Graça Portela (Ascom/Icict/Fiocruz)

Voltar ao topoVoltar