Início do conteúdo

Segunda etapa do 5º Plano de Ação de Governo organiza oficinas sobre transparência em ciência


27/09/2021

Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia*

Compartilhar:

Entre os últimos dias 16 e 20 de setembro, representantes de diversas instituições participaram da segunda etapa do 5º Plano de Ação de Governo, com o tema “Transparência em ciência: novos mecanismos de avaliação para o avanço da Ciência Aberta”. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) foi uma das instituições presentes no evento virtual.

Durante os encontros, representantes do governo e da sociedade civil reuniram-se para a segunda etapa do processo de construção do 5º Plano de Ação no âmbito da Parceria para Governo Aberto (Open Government Partnership - OGP), voltada para oficinas de cocriação em relação aos assuntos direcionados à "Transparência em Ciência: Novos Mecanismos de Avaliação para o Avanço da Ciência Aberta" (saiba mais aqui).

Participaram dos encontros nos dias 16 a 20, além da Fiocruz e do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), representantes das seguintes instituições: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI); Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC); Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); e Scientific Electronic Library Online (SciELO).

5º Plano de Ação Brasileiro

O processo de elaboração do 5º Plano de Ação brasileiro, no âmbito da Parceria para Governo Aberto, está sendo realizado conforme metodologia definida pelo Comitê Interministerial Governo Aberto (CIGA) e pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para Assessoramento em Governo Aberto.

O Plano de Ação Nacional é um documento em que cada país deve especificar quais são os seus compromissos, de acordo com os princípios de governo aberto de: transparência, participação social, accountability (responsabilização e prestação de contas), combate à corrupção e inovação. No documento são delimitadas as estratégias e atividades definidas pelo país para implementar o Plano no prazo de dois anos.

No 5° Plano de Ação Brasileiro, o processo de elaboração e de execução é um trabalho coparticipativo do governo e da sociedade civil e está dividido em três etapas. Saiba mais clicando aqui.

 

*com informações editadas pelo Portal Fiocruz - Ciência Aberta.

Voltar ao topoVoltar