Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

04/10/2018

Habitação foi tema de seminário na Fiocruz Mata Atlântica


Por: Emerson Rocha (Fioruz Mata Atlântica)

Luís Madeira fez a coordenação dos debates e apresentou os temas

Com boa presença de público, o Auditório do Campus Fiocruz Mata Atlântica (CFMA) foi o local escolhido para a apresentação do debate "Experiência em Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social e a ação da Fiocruz Mata Atlântica no território", no último dia 19 de setembro. O evento fez parte do projeto Seminários Fiocruz Mata Atlântica, que acontece uma vez por mês. Para essa edição, a novidade foram as participações de dois profissionais com experiências fora da Fiocruz. 

Depois da abertura do evento feita pelo coordenador do Programa de Desenvolvimento do Campus Fiocruz Mata Atlântica (PDCMA), Gilson Antunes da Silva, a primeira a se apresentar foi a mestre em arquitetura e urbanismo e idealizadora do projeto Atos Colaborativos, de Minas Gerais, Ana Paula Luz. Ela mostrou diversos trabalhos realizados, principalmente na região de Juiz de Fora. Mesmo com os resultados já obtidos, Ana Paula acredita que a troca de informações pode ser fundamental para beneficiar mais pessoas. 

"É um projeto que surgiu com dois objetivos principais. O primeiro era promover um ensino mais prático para estudantes de arquitetura e engenharia, além de realizar reformas habitacionais para famílias que não tinham situações adequadas para a construção civil. Por isso, pra mim, essa experiência em dialogar é muito importante, quando a gente consegue envolver o poder público e até as instituições de ensino para que essa ideia seja sempre efetiva e que consigamos mais recursos para atingir mais famílias. Esse debate é essencial para novas trajetórias", disse a idealizadora do projeto Atos Colaborativos, que tem pouco mais de um ano de fundação.

Ana Paula Luz, idealizadora do projeto Atos Colaborativos

Na sequência, quem fez uma ampla explanação foi o também mestre em arquitetura e urbanismo, o professor da Universidade Federal de Goiás, João Paulo Huguenin. Escritor de alguns livros sobre habitação, ele ficou satisfeito em saber do trabalho feito no CFMA.

"Foi uma experiência muito boa em poder saber o que está sendo produzido aqui pelo pessoal da Fiocruz Mata Atlântica. Conhecia muito pouco. Essa troca é importante e agora temos que pensar numa agenda conjunta de articulações para garantir o direito constitucional de habitação. Meu trabalho pode mostrar diversas formas de pensar sobre assessoria técnica para além de uma prestação de serviço. Acho que é algo que já fazem, mas ver desenhos diferentes fortalecesse a própria ação", completou João Paulo.

A equipe do PDCFMA também apresentou os projetos desenvolvidos para as comunidades da Colônia Juliano Moreira. A primeira palestra foi feita pela engenheira civil, Priscilla Lisboa. Durante 15 minutos, ela mostrou a iniciativa "Casas Abrigo", que já conta com a participação de 13 famílias que tiveram suas casas interditadas pela Defesa Civil. Elas recebem a doação de material para a construção de um novo imóvel, projetado pela equipe de Assistência Técnica do CFMA. O morador precisa apenas custear a chamada "mão de obra" para finalizar o projeto. Algumas casas já foram concluídas e outras estão em processo.   

O mestre em arquitetura e urbanismo, Conrado Carvalho, apresentou uma nova proposta que está sendo implementada nessas comunidades. A ideia é que o morador participe de oficinas técnicas na área de construção civil. Com isso, em conjunto com os profissionais, eles irão avaliar as necessidades de cada imóvel e desenvolver as prioridades. 

Para fechar as apresentações, a doutora em planejamento urbanístico, Carmen Silveira, fez uma exposição dos "Encontros sobre Moradia Saudável e Sustentável", ocorridos entre abril e outubro de 2107. Esse trabalho foi realizado na Cooperativa Habitacional Esperança, localizada também na Colônia Juliano Moreira. O foco era no desenvolvimento de tecnologias sociais para a habitação e o hábitat no âmbito da Promoção da Saúde. 

Mesa com os debatedores do seminário
Após as palestras, foi aberto um ciclo de debates entre o público e os integrantes da mesa. O mediador foi o responsável de Planejamento Territorial e Regularização Fundiária do PDCFMA, Luís Carlos Soares Madeira Domingues. Para ele, o evento foi importante para melhorar ainda mais a aproximação de diversas áreas da Fiocruz Mata Atlântica.

"O seminário buscou fortalecer a integração entre as nossas equipes, através da apresentação do que estamos fazendo e da troca de experiência entre os profissionais. Mas ressalto que a proposta também era de ampliar a perspectiva crítica sobre o tema, por isso o convite para participar da mesa de outros profissionais que não são da instituição e que desenvolvem projetos na temática Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social (ATHIS), bem como o convite a toda a comunidade Fiocruz interessada no tema e em experiências que vinculem promoção da saúde e territórios vulneráveis", explicou Madeira. 

Os Seminários Fiocruz Mata Atlântica acontecem uma vez por mês, na Ala de Cursos do CFMA, que fica na Avenida Sampaio Corrêa, s/n, na Colônia Juliano Moreira, Taquara, Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A próxima edição já está marcada para o dia 16 de outubro, com o tema "A importância da autoavaliação para a melhoria do desempenho das Organizações Públicas". A palestra será com o mestre em Gestão pela Universidade de Coimbra (POR), Everton Alves.

A inscrição para assistir ao evento é feita no próprio dia e local. Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail: educa.cfma@fiocruz.br ou pelo telefone: (21) 2448-9027.
 

Voltar ao topoVoltar