Início do conteúdo

Compromissos participativos para um Governo Aberto é tema de debate on-line na Fiocruz

10/06/2021

Valentina Leite (VPEIC)

Compartilhar:

Transparência, prestação de contas, participação cidadã, tecnologia e informação. Estes e outros conceitos foram debatidos durante o evento Governo Aberto no Brasil, na última quarta-feira, dia 9/6. A iniciativa foi o resultado de uma parceria entre a Gestão da Informação e do Conhecimento de Bio-Manguinhos e a Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz (VPEIC/Fiocruz). Quem moderou o debate foi Vanessa Jorge, coordenadora de Informação e Comunicação da VPEIC/Fiocruz. O evento está disponível aqui.

Ao iniciar a live, Vanessa destacou a importância do evento para as ações que a Fiocruz vem realizando na parceria de Governo Aberto para a Ciência Aberta. "Temos trabalhado em forte parceria com ações para o fortalecimento da ciência e da democracia", pontuou. "Nosso principal objetivo é a disseminação e o compartilhamento dessas informações, para potencializar a atuação da nossa instituição, de instituições parceiras e da sociedade".

Mas afinal, o que é Governo Aberto?

Governo Aberto é um movimento que acontece no Brasil e em diversas partes do mundo. Nada mais é do que uma nova visão do espaço público: é a promoção de ações para a melhoria das políticas públicas, estimulando mais transparência e integridade por parte do Estado.

Durante a live do dia 9/6, Marcelo Vidal, coordenador de Governo Aberto e Transparência da Controladoria-Geral da União (CGU), explicou a importância do movimento: "Atravessamos um momento que temos que cada dia mais buscar inovar em nossas práticas. Temos que inovar para lidar com a realidade, ampliando cada vez mais a capacidade de dar respostas às demandas sociais. É nesse contexto que entra o conceito de Governo Aberto: para aumentar a confiança nas nstituições públicas e valorizar a democracia". 

Experiências de Governo Aberto no Brasil

Outra convidada do evento foi Patrícia Bertin, supervisora de Governança da Informação e Transparência da Embrapa. Ela compartilhou algumas etapas do desenvolvimento do 4º Plano de Ação Nacional em Governo Aberto, que teve por objetivo avançar com a pauta da Ciência Aberta no Brasil. "Devemos lembrar da necessidade de abrir as fronteiras de nossas instituições. Precisamos ser mais inclusivos e colaborativos, e ouvir a sociedade, para que haja mais eficiência no uso de recursos públicos", afirmou.

Do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), Bianca Amaro e Washington Segundo também compuseram a mesa virtual de debate. Bianca Amaro, coordenadora do Programa Brasileiro de Ciência Aberta, apresentou um novo compromisso proposto pelo Ibict, que faz parte do desenho para o 5º Plano de Ação Nacional. Já Washington Segundo, coordenador técnico de Tratamento, Análise e Disseminação da Informação Científica, levou dados sobre ecossistema de pesquisa e avaliação de dados em pesquisa científica.

Acesse o evento completo.

Voltar ao topoVoltar