Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

06/11/2017

Centro de Estudos analisa os sistemas alimentares e suas implicações na alimentação familiar


Fonte: Ensp/Fiocruz

Na quarta-feira, 8 de novembro de 2017, será realizada mais uma sessão do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz). Com o tema A guerra (não tão) surda entre dois sistemas alimentares: implicações para a saúde e políticas públicas, o Ceensp pretende debater a entrada das grandes corporações da indústria alimentícia nos países da América Latina e nos lugares mais pobres desses países. Para a discussão, estarão presentes o pesquisador da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Nutrição e Saúde (NUPENS), Carlos Augusto Monteiro, e a pesquisadora do Departamento de Ciências Sociais da Ensp, Rosana Magalhães. A sessão será coordenada por Letícia Cardoso, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia em Saúde Pública da Ensp e pesquisadora do Departamento de Epidemiologia e Métodos Quantitativos da Escola. O Ceensp é aberto aos interessados e não necessita de inscrição prévia.

Segundo Letícia Cardoso, coordenadora do Centro de Estudos, a entrada das grandes corporações da indústria alimentícia, com estratégias de marketing extremamente agressivas, configuram um novo padrão de alimentação entre as famílias e está alinhado ao sistema alimentar hegemônico agroindustrial global. “Em contraposição, a política mais atual no Brasil no campo da alimentação e nutrição e uma série de políticas mundiais, como a agenda 2030, vão de encontro a esse sistema, pois valorizam a sustentabilidade, a diversidade e equidade nas sociedades".

A palestra será proferida pelo coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Nutrição e Saúde (Nupens), Carlos Augusto Monteiro, e a pesquisadora da Ensp, Rosana Magalhães, com sua experiência em estudos sobre iniquidades em saúde e segurança alimentar, participará como debatedora. Para Letícia Cardoso, essa será uma excelente oportunidade de integração entre evidências com base em estudos epidemiológicos, ciências sociais e políticas públicas.

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar