Início do conteúdo

Bibliotecas da Fiocruz ampliam acesso à informação na pandemia


02/09/2020

Vitor Fraga (Icict/Fiocruz)

Compartilhar:

A corrida científica em torno do novo coronavírus não envolve apenas médicos, biólogos, epidemiologistas e demais pesquisadores da área biomédica. Para que a ciência avance em suas descobertas, é fundamental o trabalho de quem atua para garantir acesso ao conhecimento científico, como bibliotecários e profissionais da informação. É o caso das equipes que atuam na Rede de Bibliotecas Fiocruz. Com o isolamento social imposto pela pandemia, criaram formas para garantir que o atendimento (ainda que remoto e virtual) aos usuários não fosse interrompido. Mas não só isso. Também desenvolveram novas estratégias para ampliar o acesso à informação e à produção científica. Um rol de serviços e produtos, como a Plataforma Integrada Covid-19, que reúne, em acesso aberto, cerca de 100 mil títulos de todo o mundo sobre a doença. O Catálogo Mourisco, em que os usuários podem ter acesso a mais de 30 mil itens do acervo da Fiocruz. E o Boletim BiblioCovid, que elenca artigos mais buscados sobre temas relacionados ao Sars-Cov-2. Além disso, a Rede de Bibliotecas tem estruturado protocolos e medidas que devem ser tomadas quando o atendimento presencial puder ser retomado, produzindo para isso o Plano de Convivência com a Covid-19, cujos focos principais são a segurança dos trabalhadores das bibliotecas, dos usuários e dos acervos. Tem incrementado sua participação em redes de excelência, como a plataforma Virus Outbreak Data Network (Vodan). E promovido eventos e treinamentos online.

Desde o fim de março, as atividades de acesso presencial estão suspensas. Mas a inserção da Rede de Bibliotecas na web tem apoiado aqueles que produzem conhecimento na busca por debelar a epidemia, como explica a coordenadora da Rede de Bibliotecas da Fiocruz, Viviane Veiga: “Criamos a Plataforma Integrada Covid-19, com uma caixa de busca única e acesso a várias fontes de informação. Assim, o usuário não precisa pesquisar em várias bases de dados. Através de um único espaço online, pode pesquisar diversas bases de dados sobre a Covid-19”.

A Plataforma Integrada Covid-19 reúne conteúdo das principais fontes de informação científica nacionais e internacionais, incluindo bases como Dynamed, Lancet, Medline, Portal Capes, UpToDate, entre outras, agilizando as descobertas em um momento em que agilidade pode ser vital. O projeto já estava sendo desenvolvido para englobar todo o acervo, mas, com a pandemia, o trabalho foi acelerado especificamente para atender à procura por pesquisas sobre a Covid-19. “Nesse momento de grande profusão científica, em que são publicados diversos artigos sobre o tema, o tempo todo, os pesquisadores têm ressaltado a importância da plataforma, pois ela agrupa mais de 100 mil publicações do mundo inteiro, em diversas línguas”, resume.

Com o atendimento online, as equipes da Rede também têm buscado orientar os usuários de forma ativa. Um exemplo: "Para que nossos usuários não ficassem sem acesso ao Portal de Periódicos Capes durante esse período em que as bibliotecas estão fechadas, elaboramos tutoriais e infográficos com informações sobre como fazer o cadastro e ter acesso remoto aos mais de 38 mil títulos, com texto completo, incluindo os artigos publicados sobre os estudos da Covid-19 disponíveis no portal", explica Patrícia Mendes, da Coordenação da Rede.

Catálogo Mourisco

Outro serviço que começa a ser oferecido é o Catálogo Mourisco, que agrega mais de 30 mil textos completos de artigos, livros, teses e outros documentos disponíveis nas bibliotecas da Rede. “Os usuários só teriam como obter esse conteúdo indo pessoalmente à biblioteca, que está sem atendimentos presenciais por enquanto, e agora podem, de casa, por meio do Catálogo, acessar mais de 30 mil publicações em texto completo, em uma única plataforma que reflete os acervos das bibliotecas da Fiocruz. Também disponibilizamos os metadados dos demais itens, ou seja, as pessoas podem saber se temos a publicação disponível no acervo, mesmo que ainda não disponibilizada de forma virtual. Após a epidemia, o Catálogo Mourisco prosseguirá como um projeto estratégico para a Rede de Bibliotecas”, destaca Viviane.  “A criação do Catálogo Mourisco está permitindo que vários de nossos usuários possam prosseguir com suas pesquisas, mesmo durante a pandemia”, pontua Eliane Monteiro, da Biblioteca de História das Ciências e da Saúde, da Casa de Oswaldo Cruz (COC).

Com mais de 1 milhão de itens em seus acervos, a Rede de Bibliotecas é coordenada pelo Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict) da Fiocruz desde 2006. “Por razões epidemiológicas, estamos impossibilitados de mediar diretamente o contato do usuário da informação com o suporte documental físico. É essencial que a gente busque alternativas que minimizem esse impacto no acesso à informação. Nessas circunstâncias, conceder o acesso integral a fontes de informação que estão legalmente contempladas através do Catálogo Mourisco é fundamental”, avalia o coordenador da Biblioteca de Manguinhos, Igor Falce. 

Atendimento remoto 

Também foram tomadas medidas, em função da pandemia, para incrementar o serviço de atendimento remoto e virtual. Adaptações precisaram ser feitas para dar suporte ao atendimento remoto e concretizar a criação de novos instrumentos, como o Boletim BiblioCovid, projeto que envia aos pesquisadores cadastrados um link dinâmico, atualizado em tempo real, com os principais resultados de buscas relativas ao tema da Covid-19, tendo como referência a Pubmed/Medline, maior base de dados em ciências da saúde do mundo.

“Alguns profissionais de outras áreas tiveram que ser capacitados, de forma emergencial, para reforçar a equipe de levantamento bibliográfico, principalmente em função do Boletim BiblioCovid”, conta Viviane. O boletim foi produzido a partir de um questionário, em que os pesquisadores da Fiocruz apontaram qual a temática mais requisitada nas buscas relacionadas à Covid-19, ou seja, as próprias equipes indicaram a pauta - nesta primeira edição, o boletim aborda os impactos na saúde física e mental dos profissionais de saúde no enfrentamento da doença. “Apresentamos a estratégia de busca, os dez itens mais buscados e um link para o resultado completo. E o resultado é dinâmico, que dizer, se no dia em que a pessoa receber o boletim tiver saído um artigo novo, o link dará acesso a ele. Os termos buscados serão atualizados todo mês também, a partir da demanda dos próprios pesquisadores. Com isso, responderemos a várias demandas de uma vez só”, completa. A iniciativa conta com o suporte do Icict e abre a possibilidade que os interessados sugiram boletins temáticos, bastando preencher o formulário.

Com todas essas funcionalidades, o BiblioCovid oferece vários produtos em um único veículo. “A pessoa terá uma seleção dos artigos mais relevantes de cada tema, a opção de acessar o resultado completo da pesquisa sobre aquele tema, além da estratégia de busca, que pode ser replicada e adaptada para outras bases, e a indicação da melhor base de dados para buscar esse tema. A estratégia de busca é um produto de alta complexidade técnica, difícil para a maioria dos usuários, e é o que limita a possibilidade de buscas eficientes. O boletim oferecerá essas estratégias prontas”, afirma Martha Martínez, da Biblioteca Fiocruz Bahia. "É um produto e gerador de demandas de informação, sendo assim uma ferramenta informacional viva, tal como uma biblioteca”, complementa Adriano da Silva, da Biblioteca do Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/Ensp).

Protocolos e medidas de segurança 

A Rede lançou em agosto o Plano de Convivência com a Covid-19, para orientar profissionais e usuários a respeito dos protocolos e medidas de segurança que serão adotados quando houver o retorno do atendimento de forma presencial. O documento estabelece fases para o retorno às atividades, detalhando recomendações para funcionários e usuários, fornecimento de EPIs, medidas de higienização geral e individual, manutenção e manipulação do acervo, entre outros. O documento foi elaborado a partir inclusive da troca de experiências com profissionais do Brasil e de outros países - em julho, foi realizado um seminário online com o tema Bibliotecas e a convivência com a Covid-19, que contou com a participação do diretor de bibliotecas da Universidade do Minho (Portugal), Eloy Rodrigues. No evento, foram debatidas soluções, baseadas em evidências, para atividades presenciais nas bibliotecas, discutindo a importância de protocolos para proteção de profissionais, usuários e acervos, na convivência com a Covid-19. A Rede integra, ainda, a plataforma Virus Outbreak Data Network (Vodan), que visa a promover o gerenciamento dos dados dos pacientes com SARS-CoV-2, além do Portal Capes, que agrega mais de 30 mil títulos com texto completo e diversos outros conteúdos, incluindo os artigos mais recentes publicados sobre os estudos da Covid-19. 

Voltar ao topoVoltar