Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Fiocruz Ceará: Saúde e ambiente


A Área de Saúde e Ambiente da Fiocruz Ceará desenvolve projetos de pesquisa, formação e cooperação com foco nas populações do campo, da floresta, das águas e de áreas urbanas vulneráveis, bem como no tema biodiversidade e saúde sob a perspectiva One Health (saúde única). A equipe é formada por 5 doutores, 1 mestre, 14 bolsistas de pesquisa e estagiários e 3 estudantes de doutorado. Os pesquisadores Fernando Carneiro e Ana Cláudia Teixeira são os representantes da área no Grupo de Representantes da Fiocruz Ceará, além da suplente, pesquisadora Ângela Ostritz.

Com base em referenciais críticos e dialógicos e na perspectiva da produção compartilhada do conhecimento, o grupo utiliza metodologias de pesquisa participativas, especialmente em projetos voltados para os eixos: impacto de processos produtivos de grandes empreendimentos na saúde; atenção primária em saúde, ambiente e trabalho; saúde, saneamento, água e direitos humanos; biodiversidade e saúde; abordagem One Health em saúde e formas sustentáveis de usufruto do território.

Um dos projetos desenvolvidos pela área de Saúde e Ambiente é o Observatório da Saúde das Populações do Campo, da Floresta e das Águas. Desenvolvido em parceria com o Núcleo de Estudos em Saúde Pública da Universidade de Brasília (NESP/UnB), o OBTEIA avalia e contribui para implantação de Políticas por meio de práticas que envolvem intelectuais engajados, pesquisadores, representantes dos movimentos sociais do campo, da floresta e das águas e os gestores e trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS). Como resultado de pesquisas realizadas em 10 territórios nas 5 regiões do Brasil, o OBTEIA lançou um livro que está disponível no portal do projeto.

A área também possui pesquisas e ações relacionadas ao impacto da construção do Pólo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS) do Eusébio que se desdobram em eixos. Um deles diz respeito à preservação da Lagoa da Precabura, uma das mais importantes da Região Metropolitana de Fortaleza, localizada às margens do PITS. O grupo conta com estudos em parceria com universidades, órgãos técnicos e com a Associação dos Moradores da Precabura (Amapre) e tem buscado contribuir para criação da unidade de conservação da Lagoa e como consequência, da sustentabilidade do PITS.

Neste mesmo eixo, a área tem colaborado com o grupo de saúde da família no Projeto de avaliação do impacto do Complexo Industrial e Portuário do Pecém por meio de estudos das transformações socioambientais, modo de vida e trabalho que incluiu uma pesquisa-ação, onde foram realizadas oficinas de cartografia social com elaboração de plano de ação envolvendo cerca de 26 comunidades.

Outro trabalho em parceria com a saúde da família é a pesquisa Inova – “Produção de indicadores para avaliação das condições de vida das famílias e acesso aos serviços de atenção primária em territórios do litoral e do sertão do Ceará e do Rio Grande do Norte”– que começou em 2019, realizando pesquisas quantitativas e qualitativas em Novo Oriente, Icapuí e Fortim no Ceará e Apodi no Rio Grande do Norte para gerar indicadores sobre a saúde das populações do sertão e das águas.

O acordo internacional de cooperação técnica entre a Universidade de Aveiro em Portugal e a Fiocruz Ceará é mais uma ação inovadora da unidade. Coordenado pelo pesquisador José Luís Passos Cordeiro, o acordo Internacional visa a implantação e estruturação de um laboratório binacional que desenvolva pesquisas sobre ecologia e saúde. A previsão é que o laboratório se estruture em 2020 no Ceará.

No eixo de formação, a área de saúde e ambiente está promovendo o curso de Especialização e Aperfeiçoamento em Educação Popular e Promoção de Territórios Saudáveis na Convivência com o Semiárido. Inicialmente financiado pelo Ministério da Saúde, o curso segue com recursos municipais, estaduais e regionais beneficiando trabalhadores dos SUS que atuam na atenção primária ou vigilância nos territórios e pessoas envolvidas nos movimentos que trabalham em projetos de convivência com o semiárido. Os alunos estão desenvolvendo uma cartografia social nos territórios onde eles atuam e nos quais identificaram problemas, elaboraram soluções às ameaças e realizaram atividades de promoção à vida e à saúde na área. O curso tem previsão de término em setembro, e se encontra na fase dos encontros regionais. Ao todo serão seis, iniciando pelo Crato, na Região do Cariri. Esse projeto faz parte também de uma iniciativa coordenada pela Rede Saúde, Saneamento, Água e Direitos Humanos no Semiárido – RESSADH, fomentada pela Fiocruz Ceará.

No eixo de Cooperação existem atividades sendo desenvolvidas com as secretarias de saúde, desenvolvimento social e meio ambiente do Eusébio, por meio do programa Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Ceará, em parceria com o Instituto Federal do Ceará-IFCE/Turismo. Atividades educativas estão sendo desenvolvidas na Rede de Ensino Municipal do Eusébio, com temas importantes, como o manejo de animais domésticos, água, coleta seletiva, vacina contra HPV e Câncer. Em parceria com a Secretaria de Saúde há um projeto de Manejo de Animais Domésticos/Guarda Responsável, que envolve apoio à elaboração de uma lei municipal. Já com a Secretaria de Desenvolvimento Social, a Fiocruz recebe jovens em medidas socioeducativas. Há ainda o desenvolvimento de trabalhos para a Agenda 2030 no Eusébio para revalidação do Selo Unicef do município.

Em parceria com a área de biotecnologia, o setor da saúde e ambiente trabalha no Convênio com a Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (NUTEC), desenvolvendo plataforma multiusuário de espectrometria de massas e sua acreditação pela norma ISO 17025 e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Coordenado pela pesquisadora Margareth Gallo, o desenvolvimento da plataforma, visa a ampliação da capacidade analítica do Estado do Ceará para a  identificação de resíduos de contaminantes químicos como os agrotóxicos, medicamentos e metais que possam ser prejudiciais à saúde humana, de animais e ao meio ambiente, assim como a formação de mão de obra qualificada na área, contribuindo também, para o desenvolvimento do Estado. Outro convênio que já está em andamento é com a empresa Nuteral de Suplementos Alimentares, onde uma aluna de doutorado está desenvolvendo sua tese voltada para o desenvolvimento e validação de métodos analíticos para o controle de qualidade de vitaminas.

 

 

 

 


Equipe da Fiocruz Ceará

 

Contatos:
Ana Claudia de Araújo Teixeira (ana.claudia@fiocruz.br)
Angela  Christina de Moraes Ostritz (angela.ostritz@fiocruz.br)
Fernando Ferreira Carneiro (fernando.carneiro@fiocruz.br)
José Luis Passos Cordeiro (jose.cordeiro@fiocruz.br)    
Margareth Borges Coutinho Gallo (margareth.gallo@fiocruz.br)

Voltar ao topoVoltar