Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Início do conteúdo

Fiocruz Ceará: Biotecnologia

Desenho de estruturas biológicas

A Fiocruz Ceará tem atuado na área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em biotecnologia para a saúde. Com a criação do Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS), a unidade assume o papel de âncora tecnológica para fomentar o habitat de inovação local. Para isso, suas atividades estão sendo planejadas para atuar como plataformas de desenvolvimento.

- A Plataforma de Prospecção de Moléculas Terapêuticas investiga alternativas para tratamentos e diagnóstico de doenças crônicas degenerativas e câncer. Em outras palavras, seu objetivo é estimular o desenvolvimento de novos fármacos a partir de moléculas encontradas na biodiversidade brasileira, principalmente no Nordeste. A plataforma tem parceria com o NPDM (Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos) da Universidade Federal do Ceará, que há mais de 20 anos faz prospecção de moléculas com potencial anticâncer. A Fiocruz Ceará também está desenvolvendo projeto com a Embrapa para a formação de uma quimioteca de moléculas, reunindo material de bancos de extratos e de grupos de pesquisa que estudam os biomas do Nordeste brasileiro.

- A Plataforma de Desenvolvimento de Anticorpos e Minianticorpos atua na área de engenharia de proteínas com ação terapêutica, que une as atividades de evolução de proteínas no computador e na bancada do laboratório, com o objetivo de desenvolver novos anticorpos e biofármacos dos tipos biosimilares e biobetters, ou seja, aqueles derivados dos medicamentos comerciais, mas que têm alguma propriedade melhorada no laboratório. Na produção dos biofármacos, tem-se a cooperação técnica com o Laboratório de Biologia Molecular e do Desenvolvimento (LBMD) da Universidade de Fortaleza. Este participou da criação da cabra Gluca, o primeiro clone caprino transgênico da América Latina, que expressa a proteína Glucocerebrosidase humana, capaz de tratar a doença de Gaucher.

- A Plataforma de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Bioinformática apoia as outras duas plataformas, por meio de simulações moleculares, ou seja, estuda as interações atômicas envolvidas nos modelos de sistemas biológicos durante um intervalo de tempo, possibilitando relacionar a função de uma proteína a algum aspecto estrutural peculiar. Um dos projetos, por exemplo, envolve o desenvolvimento de uma ferramenta computacional capaz de reproduzir a evolução de anticorpos usando computador, o que facilita a pesquisa e encurta o tempo necessário para o desenvolvimento realizado na bancada do laboratório. 

CONTATOS

Pesquisadores da área de biotecnologia experimental:

Anna Carolina Machado Marinho
anna.marinho@fiocruz.br

Carla Freire Celedônio Fernandes
carla.celedonio@fiocruz.br

Claudia do Ó Pessoa
claudia.pessoa@fiocruz.br

Donat Alexander Chapeaurouge
donat.chapeaurouge@fiocruz.br

Fabio Miyajima
fabio.miyajima@fiocruz.br

Gilvan Pessoa Furtado
gilvan.furtado@fiocruz.br  

João Hermínio Martins da Silva
joao.martins@fiocruz.br

Marcela Helena Gambim Fonseca
marcela.gambim@fiocruz.br

Marcos Roberto Lorenzoni
marcos.lourenzoni@fiocruz.br

Marlos de Medeiros Chaves
marlos.chaves@fiocruz.br

Raphael Trevizani Roque de Oliveira
raphael.trevizani@fiocruz.br

Roberto Nicolete
roberto.nicolete@fiocruz.br

Pesquisadores da área de bioinformática:

João Hermínio Martins da Silva
joao.martins@fiocruz.br

Marcos Roberto Lourenzoni
marcos.lourenzoni@fiocruz.br

Raphael Trevizani
raphael.trevizani@fiocruz.br

No Portal Fiocruz

Mais Notícias

Voltar ao topoVoltar